publicidade
quarta-feira, maio 22, 2024

A esperança em um novo ano – e como isso se dá em Global Mobility

A posição de Mobilidade Global necessita ser mais estratégica, precisa pensar não só no dia a dia da área, mas quais os impactos a longo prazo - por mais embaçada que a visão fique - podem ser alcançados quando fala-se de expatriados

Por Danyel Andre Margarido

É comum a todos no mundo um sentimento, por menor, que seja, de que um ano novo pode trazer mudanças, situações novas e experiências animadoras. Pode ser o Ano Novo do calendário gregoriado, do calendário judeu, do calendário chinês, e de tantas outras formas de contar o tempo, esse sentimento positivo acompanha essa passagem.

No mundo a Mobilidade Global, que tem uma forma própria de contar o tempo, não é diferente. Um novo ano traz consigo um sentimento de mudança, de infinitas possibilidades, e novos desafios.

Mas, uma das coisas de Global Mobility é a necessidade de estar sempre atualizada e pronta para um novo desafio, enquanto olha o mundo por cima dos ombros de gigantes – ou seja, com uma base sólida, criada por quem já viu muito.

Um tipo, com vários subtipos

O principal cliente, em Mobilidade Global, é o business, o negócio, a área de empresa que tem a demanda e/ou a oportunidade para que o funcionário possa ser um expatriado. Mas o que é um expatriado?

Por definição da língua portuguesa, é “quem ou aquele que reside, voluntariamente ou não, fora da sua pátria.” Por definição, todas as pessoas que deixam seus países de origem são expatriados. Mas, dentro das empresas, esse termo foi adotado para os profissionais que são enviados para outros países em missões empresariais. Missões que possuem começo, meio e fim. Há o interesse que o expatriado retorne ao seu país de origem, do ponto de vista da empresa, e traga consigo os resultados de sua missão.

Ainda é importante que os advisors de Mobilidade Global possam prestar auxílio a todos os tipos de expatriados, ou seja, a todas as pessoas que deixaram seus países de origem. Uma contratação local de um colaborador estrangeiro não será mais fácil por não ter os benefícios, e os “deveres” para com o país de origem, de um colaborador expatriado. Isso sem falar nas pessoas que já são e ainda se tornarão refugiadas climáticas, sem contar os refugiados por questões de guerras, por exemplo – o advisor de mobilidade global pode ser uma ferramenta chave dentro das empresas.

Um passo à frente

Munido do conhecimento de quem é o cliente de Mobilidade Global, e do conhecimento do indivíduo à sua frente (quantas vezes um expatriado não chega à mesa do advisor de GM, sem que este saiba que trata-se de um novo expatriado…). É importante saber os possíveis próximos passos de um processo de expatriação.

Não somente atuar e pensar em qual o visto a ser solicitado, qual benefício a ser aplicado e quantas casas visitar no Home Search, mas o que esperar do mundo da Mobilidade Global. Mesmo que essa “esperança” ainda pareça distante, já que neste meio do caminho, ainda existam temas que são pouco discutidos – como a Remuneração do expatriado, como o Limite do cuidado com o expatriado, como o Retorno de uma expatriação, como o famoso ROI da expatriação – faz-se necessário ter as habilidades de previsão de trends.

Isso porque, justamente pela necessidade de ter uma Mobilidade Global mais estratégica dentro das empresas, pontos mais simples tornam-se parte do business, e deixando um espaço vago para o advisor de Global Mobility preencher com o que será necessário no futuro.

Ano Novo, Vida Nova!

Inspirando-se em um novo ano, olhando para o que foi feito até agora, e vislumbrando o futuro, é possível traçar algumas trends que poderão acompanhar o advisor de Global Mobility no ano de 2024. Importante destacar, no entanto, que essas são trends, o que tem sido feito por várias empresas ao mesmo tempo, que apontam em uma direção. E por serem trends, ou mesmo modas, desvios podem acontecer, empresas de mercados específicos podem decidir por rumos diferentes, e tudo pode ser revisto.

Com o novo ano, algumas tendências começam a tomar mais corpo e passam a ser mais do que temas de palestras, passam a ser demandas do negócio.

Como a Inteligência Artificial (IA) vai influenciar na Mobilidade Global? Não, o Chat GPT não vai tomar o seu lugar se você não deixar. Como toda a ferramenta de IA, tem algoritmos que aprendem rapidamente tendências e suas aplicações. Ao mesmo tempo, a Mobilidade Global é multidisciplinar, e requer inputs de várias áreas ao mesmo tempo. Assim, a dúvida fica em como extrair conhecimento, como ter acesso a facilidades, como ganhar tempo com a utilização da ferramenta – ou melhor, das ferramentas, pois o Chat GPT é uma das ferramentas de IA no mercado, por enquanto.

Ainda que seja possível olhar somente para processos, a Mobilidade Global é sobre pessoas – sobre pessoas conquistando o mundo! E pessoas são diversas. Assim, integrar a diversidade nos temas de GM é imperativo para o andamento da área e do negócio. E não só trazer a Inclusão para GM, mas também auxiliar na personalização de processos para que as pessoas sintam-se acolhidas passando por uma missão.

E como a Global Mobility pode influenciar, de maneira positiva, a Sustentabilidade? Quais são as escolhas que podem ser feitas antes, durante e depois de uma missão que podem aderir às diretrizes de ESG? A Sustentabilidade vai muito além de escolher parceiros que tenham ações sustentáveis, faz-se necessário pensar no todo na pessoa expatriada, na sociedade que a recebe… Além de ações que visem o meio-ambiente.

Isso tudo sem esquecer da complexidade das leis e do Compliance, que vem se tornando cada vez mais presentes no dia a dia de mobility, fazendo com que o conhecimento de leis internacionais de migração, da lei trabalhista e previdenciária sejam parte do dia a dia de um advisor de mobilidade global – e de parceiros que possam apoiar em todo o conhecimento específico agregado.

Dois Mil e Vinte-e-quatro

Novas tendências para este novo ano ainda podem surgir, aliados aos conflitos internacionais e aos movimentos climáticos, um novo cenário global ainda pode ser desenhado em pouco tempo. O profissional de Mobilidade Global não poderá prever tudo, o mundo já está envolto em incertezas. Por isso, é importante estar atento aos sinais. O que as empresas estão fazendo. Como os países estão se movimentando. O que as pessoas estão dizendo. E com isso, pegar o timão e direcionar o barco da Mobilidade Global em meio às tempestades e adversidades que virão – mas não nos farão naufragar.

Sobre o autor

Danyel Andre Margarido possui mais de dez anos de experiência em Mobilidade Global e Expatriados, atuando como consultor de Global Mobility na EMDOC, e fundador da Altiore Experience. Atualmente no setor de Global Mobility do Prysmian Group, já realizou a movimentação de mais de 2.000 famílias pelo mundo. É formado em Relações Internacionais pela UniFMU, com especialização em Direito Internacional pela Escola Paulista de Direito. Tem MBA em Recursos Humanos, pela Anhembi Morumbi, e um mestrado profissional em Recursos Humanos Internacionais, pela Rome Business School.

Publicidade

Últimas Noticías