Artistas imigrantes agitam cena musical em São Paulo nesta semana

0
75
O grupo togolês Maobé. Crédito: Willians Santos

Série de atrações ajuda a dar uma ideia da diversidade de talentos e vozes que estão ajudando a enriquecer o cenário cultural da cidade

Por Willians Santos
Em São Paulo

O que é música Africana? De gringos, refugiados ou imigrantes? Difícil responder estas perguntas, mas, o fato é que esta semana o público da pauliceia desvairada terá a oportunidade de conhecer alguns artistas que vem internacionalizando a cena musical da cidade de São Paulo.

De diferentes nacionalidades e continentes alguns músicos e musicistas que nossa equipe registra aqui apresentam-se em diversos espaços da cidade e participam de eventos acadêmicos nesta semana. Listamos apenas alguns eventos.

As apresentações tiveram início nesta quarta (28), com o Grupo Maobé no bar Palestino Al Janiah. Localizado próximo à avenida 13 de Maio, bairro boêmio da cidade, entra no palco do evento que ocorre toda quarta feira, o Gringa Músic.

O grupo Maobé surgiu na cidade de São Paulo em meados de 2018 seus integrantes são os togoleses Edoh, Tyno, Koffi, Messan, Esse, Ayiko, Edemos, Topry e Nokplime. Sua proposta tem por princípios a cultura Mandiga e o Vudu; suas referências musicais trazem o melhor da tradição e a contemporaneidade da África subsaariana com ritmos percussivos do Togo, Benin, Burkina Faso e Gana.

Junto a música há uma performance corporal onde são apresentados a dança Tibó, Sakpatá e Idjombi; seus cantos são referencia à história do Império Daomé. Por fim, o grupo também tem um repertório de voz e violão. Eles já se apresentaram neste ano no SESC Pompeia, SESC Belenzinho – no evento Refúgios Musicais -, no carnaval Africano do Gringa Music no Al Janiah, dentre outros. Para Maobé, África é ancestralidade e ancestralidade é arte.

O Gringa Music é uma proposta idealizada pelo cantor e compositor congolês Yanick Delass. O evento, que ocorre às quartas-feiras no bar Al Janiah, contou com uma edição na biblioteca Mario de Andrade durante o segundo semestre deste ano. O projeto, segundo seu idealizador, “(…) é um palco móvel de música do mundo de alta qualidade onde se apresentam os músicos imigrantes residentes em São Paulo. O objetivo desse projeto é revolucionar a cena musical na cidade de São Paulo oferecendo uma boa estrutura aos músicos imigrantes”.

Logotipo do projeto Gringa Music.
Crédito: Divulgação

Na biblioteca “(…) o programa trouxe produções musicais dos imigrantes residentes em São Paulo, no intuito de promover a diversidade cultural na cidade. Imigrantes oriundos dos mais diversos países da África, Europa, Ásia, Oriente Médio, América Central e América Latina se apresentarão às sextas-feiras”, conforme o músico.

Dia 30/11, sexta feira, as 19h na biblioteca ocorrerá a apresentação do grupo colombiano Edwin Ospina. E no sábado, as 15h, haverá uma festa de encerramento no mesmo espaço com apresentações do baterista e compositor Otis Selimane Remane (Moçambique), o sexteto de Cumbia Pipo e Su Sabor (Chile) e a cantora Irene Atienza (Espanha).

Debate e cultura

Durante o II Forum Fontié Ki Waze/Fronteiras Cruzadas, que acontece nesta semana e vai até 1º de dezembro na ECA-USP, a cantora sul-africana Nduduzo Siba participou de mesa de debates e fez apresentações nesta quinta (29): a mesa “Contra apartheids locais e globais” e apresentação musical às 20h30. O fórum é dedicado aos migrantes e refugiados em São Paulo e propõe discutir as “(i)mobilidades globais e diásporas contemporâneas”.

Nduduzo Siba é uma multi-artista, de raízes Zulu, que faz parte do elenco da peça “Inútil canto e inútil pranto pelos anjos caídos”, escrita por Plínio Marcos e encenada pela Turma 66 da EAD-USP dirigida por Rogério Tarifa. A cantora já fez apresentações musicais no Gringa Music (Biblioteca Mario de Andrade), SESC Bom retiro (dia da Consciência Negra) e no Instituto Thomie Othake com o Bale da Cidade de São Paulo, dentre muitos outros lugares.

Além do lado artístico há uma campanha em defesa do direito da multi-artista “Nduduzo Siba tem voz” de permanecer no Brasil. “(…) A campanha em solidariedade à Nduduzo foi lançada no dia 8 de março – dia internacional da mulher – por uma rede composta por artistas, ativistas, professores e estudantes (…) busca apoiar a luta de Nduduzo pelo direito de permanecer no Brasil, defendendo a revogação do decreto de expulsão publicado pelo Ministério da Justiça em seu nome e dando visibilidade ao trabalho artístico que vem sendo desenvolvido por ela”, conforme fonte da cantora.

Quem participa do mesmo evento e faz apresentação musical é Lenna Bahule. A cantora, compositora e intelectual da cultura moçambicana que tem um álbum lançado no Brasil o “Nômade” (2016) que posteriormente se tornou um projeto musical com integrantes do Brasil e Uruguai, participará do debate “Trabalhadores\as migrantes e projetos culturais” no dia 30 de novembro as 14h.

A cantora moçambicana Lenna Bahule.
Crédito: Willians Santos

No sábado (01/12), se apresenta no Itaú Cultural com João Taubkin. “Os dois músicos se conheceram em 2015, quando trabalharam juntos no projeto Gumboot Dance Brasil”. A parceria apresenta um trabalho em que “unem suas vozes – ele no baixo, ela na percussão – em um show com repertório autoral, que constrói uma ponte imaginária entre Brasil e Moçambique”, conforme divulgação oficial.

Outra cantora de língua portuguesa que se apresenta na quinta feira é a angolana Jéssica Areias. Há pouco mais de 6 anos no Brasil, ela tem um repertório sofisticado que navega entre a música popular do país, o samba, a bossa nova, o fado e até uma canção dedicada aos indígenas guaranis do Brasil.

A cantora Jéssica Areias.
Crédito: Willians Santos

Areias faz uma parceria com Candy Mel (Banda Uó) em um “papo musical com personalidadxs do mundo LGBTQI’s, suas trajetórias como ícones de resistência, inseridxs na cultura contemporânea  e entremeado com músicas de artistas que acompanham estas experiências”, segundo a Unidade.

Jéssica tem um álbum lançado no Brasil o Olisesa licença em Umbundo onde seu repertório está presente. Ela já fez várias apresentações na cidade: FNAC, Gringa Music, além de apresentações em Portugal.

Apresentações Musicais:

Gringa Músic apresenta o grupo Togoles Maobé:

[https://www.facebook.com/events/116064809341499/]

Gringa Music:

Um viva aos colombianos com Edwin Ospina:

[https://www.facebook.com/events/2083907075208513/]

Festa de encerramento da Gringa Músic:

[https://www.facebook.com/events/494688471041649/]

Taubkin e Bahule- Lançamento Taubkin e Bahule- Itaú Cultural

[https://www.facebook.com/events/1085522918284165/]

Transversando com Candy Mel e a Cantora Jéssica Areias

[https://www.sescsp.org.br/programacao/170810_TRANSVERSANDO]

Campanha Nduduzo tem voz: https://www.facebook.com/NduduzoTemVoz/

Fontié Kwaze Fronteiras Cruzadas (i)mobilidades globais e diásporas contemporâneas. De 28 de novembro a 1º de dezembro, ECA (Escola de Comunicação e Artes).

[https://www.facebook.com/pg/fontieforum/posts/?ref=page_internal]

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.