Associação oferece curso grátis de empreendedorismo para imigrantes

1
736
Curso gratuito de empreendedorismo “Tecendo Sonhos” é voltado para imigrantes donos de oficinas de costura. Crédito: Antonella Pulcinelli

Projeto Tecendo Sonhos, da Aliança Empreendedora, é voltado para imigrantes que atuam no setor têxtil

Por Antonella Pulcinelli
De São Paulo (SP)

Este material é parte de uma parceria entre o MigraMundo e a ONG Presença da América Latina (PAL), com noticiário relacionado às comunidades latino-americanas no Brasil

A Aliança Empreendedora, empresa que apoia empresas e organizações sociais com o objetivo de desenvolver modelos de negócios inclusivos e apoio a microempreendedores de baixa renda, desenvolveu um curso gratuito de empreendedorismo chamado “Tecendo Sonhos”, voltado para imigrantes donos de oficinas de costura.

O projeto é desenvolvido em parceria com três instituições – PAL (Presença da América Latina), CAMI  (Centro de Apoio e Pastoral do Migrante) e Si Yo Puedo – que prestam serviços aos imigrantes. Cada instituição replica o curso em uma região de São Paulo – assim é possível alcançar um público maior. O curso tem duração de 3 meses e é dado aos sábados e domingos.

Curso gratuito de empreendedorismo “Tecendo Sonhos” é voltado para imigrantes donos de oficinas de costura.
Crédito: Antonella Pulcinelli

O curso ensina desde a formalização da empresa até a precificação dos produtos que serão vendidos. A ideia foi desenvolvida após ter sido identificada a necessidade de trabalhar a questão do trabalho mais justo, e dentro da cadeia da moda existe uma questão muito forte de trabalho indigno principalmente com imigrantes, que não conhecem as leis do Brasil e não sabem quais são seus direitos.

De acordo com a coordenadora de projetos da Aliança Empreendedora, Tatiana Rogovschi Garcia, a intenção não é que o empreendedor aprenda apenas as questões de gestão. “Nós começamos a trabalhar com eles não só o empreendedorismo, mas também o quanto eles conhecem das regras brasileiras que falam de trabalho análogo ao escravo, de trabalho digno, pra ver o quanto eles conseguiriam aplicar dentro do seu negócio”, afirma.

Curso é aplicado com ajuda de instituições parceiras.
Crédito: Antonella Pulcinelli

Todos os empreendedores são incentivados a testar em suas oficinas tudo que aprendem no curso. Assim, podem avaliar o que é viável ou não para sua empresa. “Depois que vimos na aula o quanto guardamos coisas achando que vamos usar depois e não usamos, eu joguei fora vários sacos de retalho que tinha guardado e percebi que agora tenho muito mais espaço”, contou o empreendedor boliviano Sandro Osio.

No dia 3 de junho será a cerimônia de formatura dos empreendedores. Além do certificado do curso, eles recebem um mentor – pessoas de diferentes formações profissionais que oferecerem gratuitamente orientação aos imigrantes empreendedores por 6 meses. Não há data prevista para abertura de novas turmas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui