Aumenta o número de imigrantes no mercado de trabalho formal, segundo OBMigra

0
14

Do OBMigra

A quantidade de imigrantes inseridos no mercado de trabalho formal brasileiro cresceu 126,01%, em quatro anos, passando de 69.015, em 2010, para 155.982, em 2014. O dado integra o relatório anual do Observatório das Migrações Internacionais (OBMigra), que será divulgado no II Seminário Internacional sobre Novos Fluxos de Trabalhadores Migrantes para o Brasil, em 22 de outubro, na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF).

Para o estudo foram cruzados dados da Polícia Federal e de três ministérios: Justiça, Trabalho e Previdência Social, e Relações Exteriores.

Durante o seminário, o Observatório vai lançar dois documentos: um relatório analítico e um anuário com dados das migrações no Brasil. Os números revelam que, em 2014 e no primeiro semestre de 2015, todos os estados brasileiros tiveram balanços positivos na contratação de imigrantes, com destaque para os do sul do país. O ano de 2014 contou com 33.557 admissões contra 13.738 desligamentos. No primeiro semestre de 2015, o comportamento da movimentação dos trabalhadores imigrantes no mercado formal manteve a tendência do ano anterior, com o número de admissões superando o de demissões.

OBMigra lança novos dados sobre migração e mercado laboral no Brasil. Crédito: Geórgia Lima
OBMigra lança novos dados sobre migração e mercado laboral no Brasil.
Crédito: Geórgia Lima

A pesquisa também mostra que os trabalhadores haitianos se transformaram na principal nacionalidade no mercado de trabalho, superando países clássicos da imigração no Brasil, como os portugueses.

Os pesquisadores do OBMigra vão analisar a série histórica 2010-14 e apresentar ainda: a quantidade de imigrantes que compunham o mercado de trabalho formal brasileiro em 2010 e em 2014, taxas salariais dos estrangeiros no território nacional e a porcentagem de imigrantes em cada Estado.

Políticas migratórias

O Seminário vai discutir as imigrações internacionais e a inserção desses trabalhadores no mercado de trabalho, a gestão migratória em países que mais receberam imigrantes na primeira década do século 21 e as propostas atuais de políticas migratórias no Brasil. O momento é oportuno, já que poderá embasar a discussão parlamentar sobre um novo marco legal para as migrações internacionais no país (atualmente em trâmite na Câmara dos Deputados). Permitirá, também, outros olhares sobre esses novos brasileiros.

Em um ano marcado por fluxos migratórios em todo o mundo, o seminário pretende ampliar o conhecimento entre especialistas sobre fenômenos migratórios, com as presenças confirmadas de:
– Tadeu de Oliveira, pesquisador do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE);
– Sonia Parella, professora da Universidad Autónoma de Barcelona (UAB) e autora de “La triple discriminación: mujer, inmigrante y trabajadora”;
– Eduardo Siqueira, professor da University of Massachusetts (UMASS) e coordenador do Transnational Brazilian Project
– Bela Feldman Bianco, pesquisadora sênior pioneira sobre estudos do tema no país
– os pesquisadores do OBMigra Leonardo Cavalcanti, Delia Dutra e Tânia Tonhati.

Representantes do Conselho Nacional de Imigração (CNIg), da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do Ministério da Justiça também vão participar das discussões, que têm como público a comunidade acadêmica, técnicos da administração pública, sindicatos de trabalhadores, organizações patronais, gestores públicos, legisladores e sociedade civil. As inscrições podem ser feitas no site da Câmara dos Deputados (www.camara.leg.br/eventos-divulgacao/eventosprogramados).

Novos fluxos de trabalhadores migrantes para o Brasil. Desafios para Políticas Públicas
Data e hora: 22 de outubro, das 9h às 18h30
Local: Câmara dos Deputados, Brasília, DF
Inscrições e programação: www.camara.leg.br/eventos-divulgacao/eventosprogramados
Informações: portal.mte.gov.br/obmigraeventos.obmigra@gmail.com
Atendimento à imprensa: Marcela Luiza / comunicação.obmigra@gmail.com / (61) 8174-1202

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.