Categoria: Colunistas

Direito ao refúgio e pandemia: a hora da mudança

Por João Chaves* Ao longo de mais de dois anos da pandemia de COVID-19 no Brasil, todas as estruturas de vida social e de governo foram testadas quanto a sua capacidade de adaptação a novas realidades, e pela busca de algum tipo de proteção à saúde pública e às pessoas. No campo da migração e da gestão de fronteiras, os dilemas foram desde março de 2020 resumidos numa questão: como garantir mobilidade num mundo de imobilidade? Desse ponto de partida, desenvolveu-se um debate jurídico e político entre diversos atores, com interesses nem sempre convergentes. Apesar da legitimidade de restrições de ... Leia mais

Nomadismo digital: um novo tipo de trabalho, agora regulamentado no Brasil

Por Danyel Andre Margarido Bem, não se trata de um “novo” tipo de trabalho, pois o trabalho vem evoluindo com o passar dos anos, mas de uma nova forma de trabalhar. Nossos ancestrais, por exemplo, poderiam achar loucura que muitos de nós trabalhássemos o dia todo em frente ao computador, mandando e recebendo emails, e, voltar para casa cansados depois de tantas mensagens trocadas… A maneira como trabalhamos hoje é loucura para o profissional do passado, e a maneira que muitos trabalharão amanhã soará como loucura para nós, no presente. Um exemplo disso, da mudança da maneira de trabalhar, é ... Leia mais

Eu só queria trabalho e pão: uma homenagem a Moïse

Por Pe. Alfredo J. Gonçalves, cs Nasci na República Democrática do Congo, continente africano. Meu nome era Moïse Mugenyi Kabagambe, tinha 24 anos, morava com minha mãe e minha irmã. Estou neste país porque uma mistura de pobreza e violência me expulsou de minha pátria, onde permanecem enterrados os ossos de meus queridos antepassados. Fugi e vim em busca do grande Brasil, afamado por seu coração acolhedor. Esperava encontrar a paz, o trabalho e o pão para mim e toda minha família. Procurei transformar a fuga em nova busca, superado feridas, mágoas e cicatrizes. Sonhava com uma nova terra, em ... Leia mais

São Paulo, 468 anos: qual seria o melhor presente para uma metrópole cosmopolita?

Por Pe. Alfredo J. Gonçalves Não obstante sua jovem idade de 468 anos, completados neste 25 de janeiro de 2022, São Paulo figura entre uma das metrópoles mais cosmopolitas. Abriga um grande mosaico dos “mil rostos do outro”. Basta um rápido giro pelo centro velho da cidade – como a praça da Sé e a Liberdade (incluindo a “baixada do Glicério”), a 25 de março e o parque Dom Pedro, o largo São Bento e a praça da República, o Brás e a Mooca, a esquina da São João com a Ipiranga (como lembra a música de Caetano), o largo ... Leia mais

Excluídos ou perversamente incluídos: autores falam dos migrantes e do drama da saída da terra natal

Por Pe. Alfredo J. Gonçalves Dois livros, dois autores, dois testemunhos vívidos, com a diferença de quase um século entre ambos. Fotografam, um e outro, o drama de gente em saída. Se as árvores ao serem cortadas, deixam escapar o sangue da seiva que lhes corre nas veias, as pessoas sangram suor e lágrimas. A dor da separação expõe as raízes ao sol ardente. Multidões expulsas do país em que nasceram, brutalmente desligadas de familiares, parentes e amigos. Migrantes que, aos milhares e milhões, partem de suas terras em busca de um solo menos árido e menos hostil, mais acolhedor ... Leia mais

Um olhar sobre o naufrágio, do mundo antigo às migrações contemporâneas

Por Pe. Anfredo J. Gonçalves A noção de naufrágio remete ao Mundo Antigo e à Idade Média, com suas embarcações frágeis e vulneráveis pelos mares bravios. Lembra de forma toda particular os séculos XV e XVI, época dos grandes descobrimentos e longas navegações, onde eram frequentes os ataques dos piratas. Mas remete também à famigerada noite entre 15 e 16 de abril de 1912, ano em que o imbatível Titanic, gigantesco titã dos mares, chocou-se com um iceberg, causando a morte de quase 1500 pessoas. E remete, ainda, às últimas décadas do século XX e primeiras do século XXI, quando ... Leia mais

A pandemia como pretexto para restrição das migrações

A pandemia de Covid-19, entre seus efeitos nefastos, paralisou pessoas, negócios, mercadorias e investimentos. Paralisou igualmente um número nada desprezível de migrantes em todo mundo. Estudiosos da América Latina e Caribe, por exemplo, falam desse fenômeno como “imobilidade forçada”, “fronteiras engessadas” ou “fronteiras congeladas”. Numerosos grupos de migrantes viram-se, improvisamente, encurralados nos espaços fronteiriços entre dois ou mais países: sem possibilidades de avançar e sem condições de retornar. Retidos como prisioneiros numa espécie de limbo de espera indefinida. Desnecessário assinalar as condições extremamente precárias de tais acampamentos, alguns deles inclusive militarizados. Os exemplos são mais ou menos conhecidos. As caravanas ... Leia mais

O que fazer quando o erro aparece no meio de uma Expatriação?

Por Danyel André Margarido Como todo o processo em que pessoas estão envolvidas, a Mobilidade Global enfrenta erros. Seria inocente pensar que, por maiores que sejam os cuidados, erros não acompanhariam a mudança de vida de uma pessoa, de um país a outro. Se existem erros, dos simples aos mais complicados, quando mudamos de apartamento, eles aumentam quando mudamos de país. E estar pronto para lidar com eles, a medida em que aparecem – e eles vão aparecer – torna o processo de mobilidade maduro. Não é uma necessidade errar para aprender, mas é parte da maturidade do processo vem ... Leia mais

Migração: cura, cuidado e cultivo

Por Pe. Alfredo J. Gonçalves Neste outono da pandemia Covid-19, digamos assim, os três conceitos do título – cura, cuidado e cultivo – requerem especial atenção. Mas o requerem de forma particular para as pessoas que, já antes excluídas, invisíveis e descartáveis, tornaram-se ainda mais vulneráveis no transcurso do flagelo. De acordo com dados do IBGE, o país atingiu no último mês de abril o recorde de extrema pobreza, com 14,5 milhões de famílias nessa situação, o que representa um número superior a 40 milhões de pessoas. O montante de famílias na miséria é o maior desde o início dos ... Leia mais

Imigrantes, sejam eles quem forem

Por Danyel Andre Margarido Uma das maiores dificuldades que se passa em trabalhar com estrangeiros é perder um pouco da visão que temos sobre nós mesmos. Afinal muito da visão do brasileiro jaz na impressão de o que é importado é melhor do que o nacional – sejam produtos, pensamentos, filmes e, infelizmente, pessoas. Mas isso realmente é verdade? No mundo da Mobilidade Global, é comum termos políticas extensas contemplando diversos benefícios para os trabalhadores estrangeiros que são transferidos do Home para o Host Country – o que faz sentido quando necessita-se do profissional com o conhecimento e background específicos para a solução de uma demanda ... Leia mais