Sem um euro no bolso, francês vai de Paris a Moscou recolhendo doações para migrantes

0
22

Contando com a solidariedade, Sasha de Laage, 20 anos, conseguiu arrecadar 11 mil euros em doações para resgate de migrantes no Mediterrâneo. “Quero mostrar que ainda existe solidariedade na Europa”

Por Victória Brotto
Em Estrasburgo (França)
Atualizado em 18/07/18, às 10h18

Sasha de Laage, antigo estudante do Instituto de Ciência Política em Paris, saiu da capital da França no último dia 17  de junho para ir até Moscou para presenciar a Copa do Mundo de Futebol.  Seria uma viagem como qualquer outra, se não fosse o fato de que o rapaz de 20 anos estivesse sem sequer um euro no bolso e quisesse coletar ao longo do caminho 11 mil euros para doar ao navio Aquarius, da ONG S.O.S Mediterrâneo, que resgata migrantes no mar entre a Europa e a África. O montante equivale a um dia de resgates feitos pela embarcação.

Clique aqui para assinar a Newsletter do MigraMundo

O navio Aquarius ficou conhecido duas semanas antes, quando teve acesso negado aos portos da Itália depois de ter resgatado 629 migrantes no Mediterrâneo.  “Com essa viagem, eu quero mostrar que ainda existe solidariedade na Europa, e que ela ainda é fiel aos seus valores humanistas”, explicou Sasha em entrevista ao MigraMundo.

Sasha de Laage, 20, percorreu milhares de quilômetros pela Europa recolhendo doações para navio de resgate de migrantes no Mediterrâneo.
Crédito: Divulgação

O jovem ainda acrescenta que dinheiro não é algo essencial para a sobrevivência, mas sim a a solidariedade. “Podemos viver com pouco dinheiro, mas viver bem, se nos unirmos. Mas para isso é preciso que a nossa geração se mexa, porque existem causas e problemas demais no mundo que precisam ser solucionados”.

A viagem

Sasha não escolheu seu itinerário. Viajou em função das caronas e dos locais onde podia ficar, onde amigos ou pessoas solidárias o receberiam – claro que sempre com direção à Rússia. “Até agora as pessoas me acolherem muito bem, claro que eu já tive algumas respostas racistas [quando eu conto para alguns que o meu objetivo é ajudar os migrantes]. Mas, no geral, está sendo uma experiência positiva”.

Logo do projeto incentiva solidariedade europeia aos migrantes.
Crédito: Divulgação

A reportagem o contatou em Estrasburgo (França), quando ainda estava no princípio de sua viagem. Por imprevistos, Sasha não conseguiu marcar um encontro presencial. Mas por mensagem, o rapaz contou ao MigraMundo que naquela altura já tinha conseguido arrecadar mais de 6 mil euros para a ONG francesa. “Nós estamos agora com mais de 6 mil euros arrecadados para ajudar no resgate de migrantes e ainda tenho [cerca de] 20 dias para chegar a Moscou”.

E o objetivo foi alcançado. Sasha de Laage conseguiu chegar a tempo da final da Copa, em Moscou, que aconteceu no último dia 15 de julho – e que contou ainda com a vitória da França, para alegria do viajante francês. Ele conversou com o Migra depois de sua chegada e contou que conseguiu arrecadar o dinheiro para os migrantes. “Estou muito contente!”

As doações à viagem de Sasha podiam ser feitas diretamente a ele por aqueles que o encontrarem ou também online por meio deste link. O projeto tem também página no Facebook e no Instagram, chamadas “Get Him to Moscow” (“Leve-o à Moscou”, em português), além de vídeo explicativo no YouTube (que pode ser visto abaixo). “A ideia é que em cima de 1 euro que ganho em hospedagem, comida ou passagem, a pessoa que quer doar doe 10 euros”, explica.

Inspiração

Mas por que doar à ONG, e dessa forma?

“Eu estava viajando pela América Latina para um projeto de audiovisual sobre o desenvolvimento sustentável na região quando me vi sem dinheiro. Eu precisava ir até o aeroporto para pegar um voo para o México. E as pessoas foram tão gentis comigo que eu fiquei impressionado como a solidariedade pode valer muito mais do que o dinheiro”, explica o jovem.

Foi então que ele quis “refazer” essa experiência, mas “em um cenário mais construtivo”. “Fazia um tempo que eu acompanhava o trabalho da ONG S.O.S Mediterrâneo, que me sensibilizou para a causa dos migrantes.”

E como as pessoas ficam sabendo da viagem de Sasha? Ele posta constantemente em grupos e comunidades nas redes sociais. Com isso, ele já conseguiu ajudas significativas, como de um restaurante na cidade de Reims, no centro da França, que lhe ofereceu refeições e de algumas pessoas que o alojaram por algumas noites. “São pessoas desconhecidas que me ofereceram sua solidariedade”. “Um grupo de estudantes me ofereceu uma passagem de ônibus de Viena (Áustria) até Praga (República Tcheca)”.

Além de registrar os passos da viagem e de agradecer pela ajuda recebida, Sasha também usava as redes sociais para falar de resgates de migrantes no Mediterrâneo.

“Obrigada “My Fabulous” pelo jantar! ótimo começo de jornada!”, agradeceu Sasha ao restaurante em Reims que o ajudou.
Crédito: Divulgação

Além da França, por onde começou sua viagem, o estudante passou por Alemanha, Áustria, República Tcheca, Polônia, Letônia e Estônia até chegar à capital russa, seu destino final – sempre contando com a solidariedade de quem encontrou pelo caminho.

Ao que parece, Sasha conseguiu atingir seus objetivos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.