publicidade
sexta-feira, julho 12, 2024

Começou a Liga Gringos. Saiba como foi a primeira rodada

Três meses depois da final da Copa Gringos, seleções formadas por estrangeiros e descendentes diretos voltaram a se reunir neste domingo (14) para a primeira rodada da Liga Gringos, a continuação da bem-sucedida iniciativa do primeiro semestre.

Com ela, voltaram os lances de efeito dignos de craques do futebol, que coexistem com as furadas típicas das “peladas” de fim de semana e com a tradicional cervejinha que refresca os ânimos após os jogos, ajuda a espantar o calor e a consolidar novas amizades.

Para este torneio foram reunidas 20 seleções, divididas em Séries A e B de acordo com a classificação na última Copa Gringos. O objetivo dos times da primeira divisão é ficar entre as quatro primeiras posições para continuar na luta pelo título; já na “Segundona”, a meta é conquistar as duas vagas que dão direito ao acesso direto à Série A – uma terceira vaga na elite é garantida por meio do Playdown, jogo decisivo entre o terceiro colocado da Série B e o antepenúltimo da Série A.

Com a Liga Gringos, voltam lances dignos de craques, furadas típicas de qualquer pelada e as confraternizações pós-jogo. Crédito: Rodrigo Borges Delfim
Com a Liga Gringos, voltam lances dignos de craques, furadas típicas de qualquer pelada e as confraternizações pós-jogo.
Crédito: Rodrigo Borges Delfim

Apesar dos esforços da organização e da maioria dos capitães dos times, o primeiro dia de competição teve imprevistos de última hora que demandaram jogo de cintura e paciência. Algumas inscrições de jogadores foram feitas momentos antes da partida, enquanto países que não conseguiram fechar seu plantel a tempo tiveram de recorrer a outras comunidades – foi o caso da Itália, que contou com o reforço de três jogadores da Alemanha e mudou de nome na última hora para Team Europe. Felizmente, os desfalques em certos times e o atraso com outros não foram suficientes para impedir a realização das partidas e dos atos de confraternização após os jogos.

Para minimizar possíveis problemas em futuras edições da Liga Gringos, a organização já pensa em alternativas. “Este formato atual é o mais exigente em termos de presença dos times. Vamos testar novos formatos, talvez fazer mais jogos em um número menor de dias, para facilitar a reunião dos times”, cogita o francês Stephane Darmani, idealizador e organizador da Liga Gringos.

Legado de união e amizade continua

Os contratempos também não impediram o clima amistoso e a retomada das amizades firmadas na Copa Gringos, considerado um dos seus grandes legados. “É uma iniciativa boa, que permite compartilhar com outras nações, por meio do esporte, interagir e trocar ideias e momentos”, pontua o argentino Alejandro Rubaja.

O contador chileno Romano Quesada lembra que parte do seu time começou a ter amizade durante a Copa passada. “Havia muitos chilenos que não se conheciam antes da Copa e estamos fazendo amizades”.

Com Grécia e Brasil, que estreiam nesta edição, o clima é igual. “A Liga Gringos acaba promovendo a união, não só dentro das colônias, como entre as demais comunidades. É algo muito construtivo para a sociedade brasileira”, opina o representante comercial Stavros Kyriopoulos, descendente de gregos e presidente da Coletividade Helênica de São Paulo. “Estávamos conversando sobre isso antes do jogo e para nós é uma honra estar representando o Brasil na Liga Gringos. Somos um time entre tantos milhões de pessoas. Queremos retribuir isso com um futebol com muito fair play”, completa o publicitário Baru Matos, capitão e organizador do time brasileiro.

Favoritos perdem e China lidera

Duas partidas abriram os trabalhos do primeiro dia da Liga Gringos. Pela Série A, a vice-campeã Bolívia sofreu com desfalques na equipe e levou 7 a 2 da Argentina; ao mesmo tempo, o Team Europe (Itália e Alemanha) derrotou os Estados Unidos por 6 a 5.

Outra seleção considerada favorita que não teve a mesma sorte neste princípio de campeonato foi o Chile. Quarto colocado na Copa Gringos, foi derrotado pelo Paraguai por 6 a 4. E o Peru, que novamente teve a Espanha pela frente como adversário na estreia, acabou derrotado por um apertado 3 a 2 – em abril, havia goleado por um sonoro 14 a 2.

Jogadores do Paraguai comemoram gol sobre o Chile na primeira rodada da Liga Gringos. Crédito: Rodrigo Borges Delfim
Jogadores do Paraguai comemoram gol sobre o Chile na primeira rodada da Liga Gringos.
Crédito: Rodrigo Borges Delfim

Quem termina a primeira rodada como líder do campeonato é a China, que aplicou 9 a 0 no México e foi a única a não sofrer gols. Os mexicanos terminaram o dia com a lanterna da Série A.

Completando a rodada da Série A, a Colômbia venceu a França de virada por 6 a 4.

Estreantes se dão bem

Se a Liga Gringos não pode contar com as seleções africanas que jogaram a Copa do primeiro semestre, a atual edição viu a estreia das seleções de Brasil e Grécia, que foram encaminhadas à Série B e se deram bem na primeira rodada.

O time do Brasil estreou com a maior goleada do primeiro dia, fazendo 16 a 2 na Bélgica, vice-campeã da Série Prata da Copa passada. Com a vitória, terminou rodada na liderança da Série B, deixando os belgas em último. Destaque para o goleiro do Brasil, que fez belas defesas e garantiu a goleada ainda mais elástica para os donos da casa.

Brasil se deu bem na estreia pela Liga Gringos. Crédito: Rodrigo Borges Delfim
Brasil se deu bem na estreia pela Liga Gringos.
Crédito: Rodrigo Borges Delfim

Já a Grécia, apoiada por uma das torcidas mais numerosas do dia, surpreendeu a seleção Alpina (combinado entre Áustria e Suíça) e venceu pelo placar de 4 a 1. O dia teve ainda as goleadas do Japão sobre o Esperanto (que congrega jogadores de diversas nacionalidades) por 8 a 2 e a de Portugal sobre a Inglaterra (9 a 3).

Os próximos jogos da Liga Gringos acontecem já neste próximo domingo (21), a partir das 11h. Maiores informações sobre a tabela e cada time na disputa podem ser obtidas no site do torneio.

Publicidade

Últimas Noticías