Copa apoiada pela Caritas/Acnur usa futebol como pretexto para dar protagonismo aos refugiados

2
344

Já imaginou acompanhar um jogo de futebol entre Paquistão e Síria? Ou entre Serra Leoa e Burkina Faso? Ou ainda entre Bangladesh e Congo? Pois entre os dias 2 e 3 de agosto será possível conhecer um pouco melhor desse mundo – que parece tão distante do público brasileiro, mas que está cada vez mais perto e presente no cotidiano.

Nesses dois dias vai acontecer a Copa do Mundo dos Refugiados, organizado por um grupo de refugiados com o apoio da Caritas São Paulo, do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), da ONU Mulheres e da UNAIDS. Outras entidades também devem colaborar dando apoio à organização do evento, como a Cruz Vermelha no atendimento médico e pastorais diversas.

Copa do Mundo organizada pelos refugiados contará com 16 seleções e o apoio de entidades como Cartias e Acnur. Crédito: Divulgação
Copa do Mundo organizada pelos refugiados contará com 16 seleções e o apoio de entidades como Cartias e Acnur.
Crédito: Divulgação

O torneio 

O evento será disputado por 16 seleções, todas elas formadas por refugiados que vivem em São Paulo. Os jogos acontecerão na Comunidade Esportiva Novo Glicério, região central de São Paulo (popularmente conhecido como Campo da Tia Eva) – veja mais informações do local ao final do post.

As oito primeiras partidas serão no dia 2 de agosto e já foram definidos por sorteio, realizado durante a cerimônia de abertura da Copa, no último dia 28 no pátio da Missão Paz, na região central da capital. Os vencedores avançam às fases seguintes, no dia seguinte, até a grande final.

Veja abaixo quem joga contra quem nas oitavas de final:

Camarões x Iraque
Paquistão x Síria
Costa do Marfim x Guiné
Serra Leoa x Burkina Faso
Mali x Colômbia
Cuba x Afeganistão
Nigéria x Angola
Bangladesh x República Democrática do Congo (ex-Zaire)

Logotipo da Copa do Mundo dos refugiados. Crédito: Divulgação
Logotipo da Copa do Mundo dos refugiados.
Crédito: Divulgação

A princípio o torneio seria realizado entre os dias 5 e 6 de julho, mas foi adiado para o primeiro fim de semana de agosto em respeito ao Ramadã, mês sagrado para os muçulmanos – religião professada por boa parte dos refugiados que estão organizando e que tomarão parte na Copa.

Além de definir os primeiros jogos, a cerimônia de abertura também teve apresentações culturais e o lançamento do hino oficial do torneio – criado por dois dos integrantes da organização, que são rappers. Para conhecê-lo, basta assistir ao vídeo abaixo, também disponível no YouTube.

Protagonismo e o futebol como pretexto

A preparação desta Copa tem mostrado a força dos refugiados organizadores e quebrado estereótipos de uma forma dinâmica e positiva, sendo este considerado o grande legado do evento. “O grande valor dessa Copa é o protagonismo dos refugiados como organizadores”, explica Larissa Leite, diretora de Relações Externas da Caritas.

Ao contrário do que se poderia esperar em um primeiro momento, não haverá prêmio para o time vencedor ou para o melhor jogador. A grande recompensa para organizadores e demais participantes, na verdade, já é a própria realização da atividade em si e a possibilidade de um conhecer ao outro. “O torneio de futebol não é o mais importante, mas sim conhecer um ao outro, se estabelecer uma identidade de grupo entre os refugiados”, exemplifica Larissa.

Em suma, o futebol – como esporte mais popular do planeta e também admirado pelos refugiados – é o pretexto escolhido para ajudar a fomentar uma identidade entre pessoas de diferentes origens, crenças e experiências de vida, mas que ainda assim podem encontrar denominadores comuns.

Como ajudar?

A Copa do Mundo dos refugiados está sendo bancada por doações obtidas por meio de depósito bancário e também por esquema de crowfunding. Para ajudar financeiramente basta doar um dos dois canais abaixo:

Depósito em conta:
Banco Itaú, agência 7657 – Caritas Arquidiocesana de São Paulo
CNPJ: 62021308/0001-70

Doação pelo site Kickante:
http://www.kickante.com.br/campanhas-crowdfunding?titulo=copa%20dos%20refugiados

A Cartias também busca de voluntários para atuar no apoio ao evento. Em torno de 40 pessoas já estão cadastradas junto à entidade, mas novas colaborações são muito bem-vindas. Caso tenha interesse, envie um e-mail com o título “VOLUNTÁRIO PARA A COPA” para o endereço casp.refugiados@uol.com.br .

Maiores informações podem ser obtidas também na página do evento no Facebook – https://www.facebook.com/copadosrefugiados

Copa do Mundo dos Refugiados

02/08, das 8:00 às 17:00
1º dia da Copa dos refugiados, com realização de 8 jogos (oitavas de final)

03/08 – 8:00 às 17:00
2º dia da Copa, com realização de 7 jogos (quartas, semi-finais e final); apresentações culturais; outras atividades

Local dos jogos: Comunidade Esportiva Novo Glicério (“Campo da Tia Eva” )
Rua Frederico Alvarenga, 391, Região Central, São Paulo

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui