E-book facilita procura de dados no acervo do Museu da Imigração

0
473
Mural na exposição permanente do Museu da Imigração de São Paulo com sobrenomes de pessoas que passaram pela antiga Hospedaria do Brás. Crédito: Rodrigo Borges Delfim/MigraMundo - mar.2019

Novo recurso, oferecido de forma gratuita, também otimiza o trabalho de pesquisadores do próprio Museu

Por Pâmela Vespoli
Em São Paulo (SP)

Documentos e registros de antepassados imigrantes – os chamados documentos de família – são comumente requisitados em processos de dupla cidadania ou simplesmente por quem tem curiosidade por suas origens. Na tentativa de facilitar pesquisas por informações migratórias, seja para fins pessoais ou acadêmicos, o Centro de Preservação, Pesquisa e Referência (CPPR) do Museu da Imigração disponibiliza gratuitamente o e-book Acervo Digital do Museu da Migração.

Clique aqui para baixar o e-book

“Observamos que o público, de maneira geral, não conseguia encontrar os registros que procurava nessa plataforma e a equipe do museu, pelo contrário, localizava algumas dessas informações com facilidade”, comenta Henrique Trindade, pesquisador do CPPR.

Diante desta constatação, foram levantados pontos que os pesquisadores acreditavam prejudicar os cidadãos a alcançarem seus resultados. “Apesar de parecer simples, é necessário levar em consideração aspectos históricos e técnicos para essa busca ser mais eficiente”.

Fachada do Museu da Imigração, em São Paulo, que lançou e-book com informações sobre busca de dados em seu acervo. Crédito: Rodrigo Borges Delfim/MigraMundo – out.2017

Por isso, no manual encontra-se uma breve contextualização histórica da época dos registros, quais são as possíveis conexões equivocadas que o usuário pode pressupor pelas narrativas perpetuadas na família e outras dicas que facilitam a interpretação das informações no momento da busca. 

Além das orientações, o documento apresenta algumas curiosidades sobre o museu, que já teve diferentes utilidades ao longo de sua existência. Por mais de 90 anos serviu como hospedaria de imigrantes na região do Brás – conhecida também como Hospedaria de Imigrantes de São Paulo. O local já foi usado também como hospital improvisado, presídio político, abrigo para enchentes e até escola técnica de aviação da Aeronáutica.

O acervo é composto por mais de 250 mil imagens digitalizadas e disponíveis para download gratuitamente. Entre estes documentos estão: iconografias, cartas, cartões-postais, fotografias, cartografias, mapas, jornais, publicações de colônias de imigrantes e muito mais.

Demanda crescente

“Nós recebemos o contato de muitas pessoas, por e-mail e presencialmente no Centro de Preservação, Pesquisa e Referência do Museu da Imigração, mencionando a utilização do manual para começar a realizar pesquisas”, diz Trindade. Segundo o Museu da Imigração, a plataforma tem, em média, 44 mil consultas mensais.

O historiador Henrique Trindade, que ministra as palestras sobre documentos de família no Museu da Imigração. Crédito: Rodrigo Borges Delfim/MigraMundo – fev.2018

Na opinião do pesquisador, o manual atinge a expectativa de otimizar o trabalho: as pessoas têm os procurado com perguntas mais objetivas, seja sobre o acervo ou referente a própria pesquisa. Aspecto essencial para a equipe, diante do aumento de consultas presenciais nos últimos meses.

O CPPR registrou 149 solicitações presenciais em dezembro de 2017, enquanto no mesmo mês em 2018 foram 216.  Em janeiro de 2018 foram 210, passando para 484 no mesmo mês nesse ano. Já de fevereiro do ano passado para fevereiro deste ano os números pulam de 155 para 255 atendimentos.

“Dessa forma, percebemos que há uma demanda crescente por informações e registros que vão além do Acervo Digital”, afirma.

É importante lembrar que estes documentos já têm certo período de existência e por isso alguns precisam passar por restaurações antes de serem digitalizados. Isso significa que mesmo sendo utilizando dados precisos em sua pesquisa, os resultados podem nem sempre serem satisfatórios. No momento, todo o conteúdo do Acervo Digital está fisicamente sob a guarda do Arquivo Público do Estado de São Paulo.

No entanto, é possível encontrar informações em outras intuições ou arquivos. O CPPR do museu oferece suporte de orientações sobre o acervo ou de outras fontes de pesquisa em seu horário de atendimento, terça-feira a sábado, das 10h às 16h (exceto feriados).

Para aqueles que têm interesse de aprofundar seus conhecimentos no tema, o Museu ofertará o curso “Registros de Imigrantes: Documentos e Histórias de Família”, no próximo dia 27 de abril.  Nele, os participantes saberão como interpretar e conectar os fatos históricos migratórios, bem como encontrar certos tipos de registros.

Inclusive, explicarão de maneira mais aprofundada o acervo e as possibilidades de pesquisa além dele. Caso interesse, contate o museu para mais informações sobre o curso e o custo para participação: (11) 2692-1866 ou museudaimigracao@museudaimigracao.org.br

Público lota auditório do Museu da Imigração para palestra sobre documentos de família. Crédito: Rodrigo Borges Delfim/MigraMundo – fev.2018

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.