publicidadespot_img
sexta-feira, setembro 30, 2022

Feira do Bom Retiro estreia com objetivo de movimentar e revitalizar o bairro a partir da diversidade cultural

Tradicional bairro de São Paulo, Bom Retiro agora conta com uma feira que visa valorizar a diversidade gerada pelas comunidades imigrantes que ali se fazem presentes

Conhecido pela presença de comunidades imigrantes diversas com o passar do tempo, o bairro paulistano do Bom Retiro agora conta com um evento cultural semanal que visa justamente valorizar essa característica. A Feira do Bom Retiro estreou neste sábado (12), com a presença de autoridades e diversas atrações artísticas e gastronômicas.

Localizada no Centro Cultural do Bom Retiro, espaço com acesso gratuito tanto pela tradicional Rua José Paulino quanto pela Rua Ribeiro de Lima, a feira contou com barracas representantes da culinária da Coreia do Sul, Venezuela, Peru e México. No palco, as apresentações ficaram por conta de expressões como danças tradicionais bolivianas e covers com as mais novas coreografias de K-POP – como é conhecida a música pop sul-coreana.

A feira foi idealizada pela Associação de Desenvolvimento de K-Town Bom Retiro, com a finalidade de reinventar e movimentar a região.

“Durante a pandemia, muitas lojas do Bom Retiro foram fechadas e vários dos seus moradores estavam voltando para os seus países de origem. Assim, sete voluntários decidiram propor algo para retomar a atratividade do bairro e fazerem pessoas de diversas partes da cidade visitarem o local e conhecerem um pouco mais da cultura dos países de origem de seus moradores”, explicou Lisa Um, integrante da organização do evento.

Este foi o caso de Sofia e Estela Grandini, que vieram de Paulínia, localizada a 117 km de distância de São Paulo, para conhecer o evento e aprofundar o seu conhecimento na cultura coreana. Curiosas para experimentar os pratos da gastronomia do país do sudeste asiático, em especial o tteokbokki, elas esperam se tornar frequentadoras assíduas do evento.

Sofia e Estela Grandini, que vieram de Paulínia (SP) para conhecer a Feira do Bom Retiro. (Foto: Lya Maeda)

‘Bom Retiro é de todos’

A cerimônia de abertura contou com discursos do cônsul-geral da Coreia do Sul em São Paulo, Insang Hwang, do vereador Aurélio Nomura (PSDB-SP) e dos próprios organizadores, além de uma cerimônia de corte de fita.

Embora contasse com uma presença significativa de autoridades e frequentadores sul-coreanos, a organização do evento foi enfática.

“A feira é do Bom Retiro, não da Coreia do Sul. O Bom Retiro é de todos que aqui moram”, ressaltou Lisa.

Em 2017, causou polêmica uma proposta do então prefeito de São Paulo, João Doria, de chamar o Bom Retiro de “Little Seul” em razão da forte presença atual sul-coreana no bairro e como forma de promover uma revitalização.

Pessoas ligadas ao bairro que foram ouvidas pelo MigraMundo na época foram unânimes em apontar que o bairro deve ser lembrado pela diversidade. Mas também ressaltaram a necessidade de melhorias que iam da segurança pública à abertura de novos espaços culturais – a recém-inaugurada Feira do Bom Retiro já seria um passo nessa direção.

Lisa Um, da organização da Feira do Bom Retiro, ressaltou que o bairro não pertence a uma determinada comunidade migrante. (Foto: Lya Maeda)

Pegando pelo estômago

Além de representantes da culinária coreana, a feira contava neste sábado com barracas de pratos do Peru, Venezuela e México. Emilia Pozas, da barraca do restaurante “La Mexicana”, fez sua inscrição no evento buscando compreender a demanda de comida mexicana no evento.

“Conhecemos aqui a região e sabemos que há um grande volume de pessoas aqui, então viemos experimentar o local. Se gostarmos do movimento, vamos voltar todo sábado”, afirmou Pozas, que também costuma participar como expositora na Festa do Imigrante.

Para os donos da barraca Burmat Asia, o engajamento com a feira ocorreu de forma diferente, pois eles já possuem uma loja no centro comercial onde a feira é realizada. Buscando expandir o conhecimento geral da cultura coreana, eles se propõe a divulgar a cultura do país através da comida, oferecendo na barraca vários pratos diferentes no espeto.

Barraca La Mexicana, uma das atrações gastronômicas da Feira do Bom Retiro. (Foto: Lya Maeda)

Planos para o futuro

A feira foi planejada para ocorrer todo sábado, das 9h às 17h. Com uma localização estratégica, com entrada por duas das principais ruas do bairro (José Paulino e Ribeiro de Lima), a feira é uma nova alternativa para os frequentadores da região, em especial para aqueles que não têm conhecimento da multiculturalidade do bairro, de experimentarem a gastronomia de diversos países. 

Há ainda vagas para expositores – os interessados devem preencher um formulário de pré-inscrição disponível no instagram do evento (@feiradobomretiro). Para o futuro, “caso tudo dê certo”, a organização do evento pretende expandir a realização do evento para que ela também possa ocorrer aos domingos.

Inauguração oficial da Feira do Bom Retiro, com corte de fita. (Foto: Lya Maeda)

*Venha ser parte do esforço para manter o trabalho do MigraMundo! Veja nossa campanha de financiamento recorrente e junte-se a nós: https://bit.ly/2MoZrhB

*Gostaria de ingressar em nosso grupo de WhatsApp para receber em seu celular as atualizações do MigraMundo? Envie seu nome e telefone para blogmigramundo@gmail.com

- Advertisement -spot_img
- publicidade -

Últimas Noticías