Livros, cafés, discussões e uma Latina e latente América inspiram o projeto Ecos Latinos

0
387

Cansados dos estereótipos e imagens distorcidas sobre a literatura latino-americana, quatro jovens latinos decidiram abrir os próprios baús e exibir em conjunto os tesouros guardados sobre os países de origem – ou que adotaram como seus. É dessa motivação que nasce o Projeto Ecos Latinos, uma das novas iniciativas ligadas a imigrantes que estão surgindo e enriquecendo a cena cultural de São Paulo.

Acesse aqui a página do projeto no Facebook

A equipe do Ecos Latinos é formada por: Víctor Gonzales, peruano, tradutor, denomina-se “o brasileiro dos Andes” apresenta ao público as riquezas peruanas que transcendem a exuberante Machu Picchu ou o saboroso ceviche; Patrícia Rivarola, de origem paraguaia, dançarina, que mostra um Paraguai alegre, vibrante e cheio de vida; Edgar Salazar, filho de bolivianos, mescla a urbanidade paulista e suas implicações com as tradições de seus ancestrais; e Alexandre Pereira Alves, o brasileiro da turma, enamorado das múltiplas expressões culturais latino-americanas – porém, para o projeto, adota o Equador como país a ser representado.

Estande do Ecos Latinos durante a Feria Latina, em São Paulo (18.04.15). Crédito: Víctor Gonzales
Estande do Ecos Latinos durante a Feria Latina, em São Paulo (18.04.15).
Crédito: Víctor Gonzales

O Projeto Ecos Latinos, foi um das cinco iniciativas ligadas a imigrantes contempladas pelo VAI, programa de incentivo à cultura da Prefeitura de São Paulo. “O fato legitima a ação do grupo e o insere em uma rede de ações culturais promovidas por imigrantes, fato bastante importante à cena cultural paulista, haja vista a cidade ser um verdadeiro caldeirão cultural. As ações pelo VAI oficialmente começam em junho, mas desde abril já estamos ecoando poesia pela cidade”, explica Alves, o “brasileiro-equatoriano” do quarteto.

O Ecos Latinos foi ainda uma das atrações da 2ª edição da Feria Latina, que transformou o largo da Batata (zona oeste de São Paulo) em um pequeno resumo da América Latina. Durante a festa o grupo se fez presente com um estande onde as pessoas puderam doar, trocar ou simplesmente pegar livros sobre os mais diversos assuntos. O local estava enfeitado com poesias de artistas famosos e anônimos e contou com a presença de escritores que em entrevistas divulgaram seus livros e falaram sobre a importância da poesia em nosso dia a dia.

Projeto promoveu intercâmbio e trocas entre autores e leitores. Crédito: Víctor Gonzales
Projeto promoveu intercâmbio e trocas entre autores e leitores. No meio, está Patrícia Rivarola, uma das integrantes do Ecos.
Crédito: Víctor Gonzales

“A repercussão do evento foi incrível, de fato fizemos ecoar a poesia latina aos quatro cantos da cidade. Pelas redes sociais poesia e outras expressões culturais estão ecoando, temos interagido com muitas pessoas sobre o projeto, sobre artes, artistas e arteiros! Em virtude de o grupo não ser composto por artistas em tempo integral, mas pessoas que sobrevivem a base de outros ofícios, ainda carece de tempo para as finalizações, mas recorremos à tecnologia para os encontros e até mesmo algumas ações do grupo”, explica Alves.

Além da Feria Latina, outras ações já foram promovidas em praças, casas de cultura e escolas pelo Ecos Latinos – e novos eventos estão a caminho. Também é possível acompanhar dicas e textos de autores latinos por meio da página do grupo no Facebook.

Projeto também recebe doações de livros e promove trocas. Crédito: Víctor Gonzales
Projeto também recebe doações de livros e promove trocas.
Crédito: Víctor Gonzales

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui