Migrantes e refugiados tomam parte na Semana de Direitos Humanos em Perus; veja programação

0
317
Vista do bairro de Perus, em São Paulo. Semana cultural no bairro terá atividades de migrantes e refugiados. Crédito: Divulgação

Berço de reivindicações históricas por direitos sociais, o bairro de Perus (região noroeste de São Paulo) recebe entre os dias 26 de junho e 1º de julho a 2ª Semana de Direitos Humanos – Pelo Fim do Terrorismo de Estado, com atividades espalhadas por diversos pontos da região.

A programação inclui atividades protagonizadas por migrantes e refugiados de diferentes origens. Na sexta-feira (30), acontece o Sarau dos Refugiados, com teatro e performances, além da apresentação do Coletivo Afronte e do novo processo do Grupo Pandora de Teatro sobre o tema da migração. Já no sábado (01/7), dia de encerramento da festa, estão previstas a presença da cantora Fanta Konate, da Guiné, a Banda de Reggae Indaíz e o Grupo de Rap Oz Guarani, da aldeia indígena localizada no Jaraguá.

Importância do movimento

A festa é organizada pela Comunidade Cultural Quilombaque, em parceria com outros coletivos e organizações, e tem como objetivo refletir sobre as várias formas de violações de direitos humanos vivenciadas pela população periférica: como o encarceramento em massa,o genocídio da juventude preta, as violências contra as mulheres negras, população LGBT, indígena e imigrante, que estarão representadas nas atividades que compõem a programação.

2ª Semana de Direitos Humanos – Pelo Fim do Terrorismo de Estado acontece no bairro de Perus, em São Paulo.
Crédito: Divulgação

“A semana tem como objetivo denunciar as atrocidades que vivenciamos diariamente em nosso território e, desse modo, pensar a garantia de direitos nesse espaço. Por meio da junção de várias frentes, queremos fomentar uma unidade de luta pelos direitos humanos na periferia. Enxergamos que nós somos alvo da violência de Estado, que acontece todos os dias e por isso queremos mostrar para a sociedade que é preciso se organizar em território, mobilizando o nosso povo e mostrando a potência que os movimentos culturais organizados têm, ao criticar um Estado que se diz democrático, mas que não tem isso em sua prática. A Semana potencializa a força que nosso território tem e colabora no desenvolvimento local, trazendo discussões políticas e discussões com quem mais sofre nas periferias”, apontou um dos organizadores, Cleiton Ferreira, integrante da Quilombaque.


2ª Semana de Direitos Humanos – Pelo Fim do Terrorismo de Estado

Data: De 26/6 (segunda-feira) a 1/7 (sábado)
Local: veja abaixo, de acordo com o dia e atividade
Informações: Facebook do Quilombaque Perus
Programação completa

1º dia | 26/6 (segunda-feira) | das 19h às 22h
Ponto Cego – O Terrorismo de Estado do Sistema Penitenciário de SP
Ação do Grupo Trecho com reflexões sobre o sistema penitenciário em São Paulo, com exposição, lançamento de livros, roda de conversa. Mediação de Munique Tavares e Almir Moreira. 
Local:
Casa de Hip Hop Perus – entrada do Recanto do Humildes – Rua Julio Maciel com Rua Salles Gomes – Antigo Telecentro

 

1º dia | 26/6 | (segunda-feira) | das 19h às 23h
Direitos Humanos na Kebrada – Sarau Segundas Negras  –  30º Edição

Participação de músicos e poetas e apresentação de Sandro Indaíz e Marcelo Rodrigues
Local: Espaço Libertário Fofão Rock’n Bar – Estrada de Taipas, 3827 Parada de Taipas, Jaraguá

 

2º dia | 27/6 (terça-feira) | das 20h às 22h30

Lutas Queixas – Centro de Defesa dos Direitos Humanos (CDDH) Carlos Alberto Pazzini 32 anos de lutas – Resgatar a memória – homenagear os velhos guerreiros e reacender a resistência!

Participação de Sebastião Silva, presidente do CDDH e demais membros da diretoria e antigos membros convidados, com mediação de Almir Moreira e José Soró, com o objetivo de resgatar a memória e homenagear o espaço.
Local: Salão Ação Social – Paróquia Santa Rosa de Lima –  R: Dr Oscar da Cunha Correa, 01 – Perus

Vista do bairro de Perus, em São Paulo. Semana cultural no bairro terá atividades de migrantes e refugiados.
Crédito: Divulgação

 

3º dia | 28/6 (quarta-feira) | das 19h30 às 22h
Terra e Justiça – Indígenas e Trabalhadores Rurais
Painel 1
– Povos Originários: Os Guaranis do Jaraguá Resistem!

Painel 2 – Reforma Agrária: O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra e o Assentamento Comuna da Terra Irmã Alberta Resistem!

A atividade contará com a presença de Thiago Henrique Karai Djekupe, líder Jovem Xondaro Guarani, Silvana Bezerra e Vitória Demarchi, militantes e moradora  da Comuna Irmã Alberta e coordenadora de Juventude MST, com a mediação de Mario Bortoto. Haverá, ainda, exposição e venda de artesanatos indígenas e alimentos da Reforma Agrária, de fotos e demais materiais.
Local: Cursinho Fábrica do Conhecimento – Sindicato dos Queixadas –  Rua Pe. Manuel Campello, 182 – Vila Inácio

 

4º dia | 29/6 (quinta-feira) | das 19h às 22h    

Genocídio da Juventude Preta – Liberdade para Rafael Braga! #30DiasPorRafaelBraga
Debate com Débora Silva  (Movimento Mães de Maio), Eduardo Taddeo (Rapper) eDouglas Belquior (UNEafro Brasil), com mediação de Cleiton Ferreira ( Fofão).
Local: Comunidade Cultural Quilombaque –  Travessa Cambaratiba, 05  ao lado Estação de trem de Perus

 

5º dia | 30/6 (sexta-feira) |das 20h às 23h

Sarau D’Quilo e Sarau dos Refugiados
A atividade contará com participação do Sarau dos Refugiados, Coletivo Afronte, Grupo Pandora de Teatro, mediada pelo Sarau D’Quilo.
Local: Biblioteca Municipal Pe. José de Anchieta – Rua Antonio Maia, 651 – Vila Perus

 

6º dia | 1º de julho (sábado) | das 7h às 17h

Resistência e Lutas: Estamos Vivos! – GTP – Grupo de Trabalho Perus e o Processo de Identificação das Ossadas da Vala Comum/ Cemitério Dom Bosco
Neste dia, lideranças do bairro de Perus irão realizar atividade na Unifesp para visitar  o Laboratório de Antropologia Forense e entender em que estágio está o processo de identificação das ossadas da Vala Comum encontrada no Cemitério Dom Bosco na década de 1990, onde presos políticos da Ditadura Militar foram enterrados. Mediação de Carla Borges.
Local:   Unifesp – Laboratório de Antropologia Forense

 

6º dia | 1º de julho (sábado) das 19h até a meia-noite

Festa Jambaque – Resistência Cultural!
A festa contará com a participação de Fanta Konate (Guiné Conacri), Banda de Reggae Indaiz, Grupo de Rap Oz Guarani, Jongo do Coreto, Aurélio Prates – A Princesa da Zona Urbana e Dj Clevinho

Local: Comunidade Cultural Quilombaque  – Travessa Cambaratiba, 05 – ao lado da Estação de Perus

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.