Mutirão de serviços para imigrantes em São Paulo terá de regularização documental a vacina contra Covid

O mutirão ocorre no CEU Lajeado, das 10 da manhã às 4 da tarde. Ao menos 200 imigrantes são esperados pelos organizadores da ação cidadã

0
68
Fachada do CEU Lajeado, na zona leste de São Paulo, antes da pandemia
Fachada do CEU Lajeado, na zona leste de São Paulo, antes da pandemia. Local vai receber mutirão de serviços para imigrantes. (Foto: Divulgação/SME)

A população imigrante que vive em bairros do extremo leste de São Paulo terá acesso a um mutirão de serviços essenciais no próximo sábado (11), a partir da mobilização de diversas entidades da sociedade civil e de imigrantes. A ação ocorre a partir do CEU Lajeado, das 10 da manhã às 4 da tarde.

Serão realizados atendimentos de regularização migratória, emissão de documentos, doações de máscaras e outros itens, além de rodas de conversa com crianças, adolescentes e adultos. Também está confirmado para o dia do evento um posto de vacinação contra a Covid-19, ofertado pela UBS Jardim Fanganiello.

As entidades confirmadas no mutirão são:

  • Defensoria Pública da União (DPU);
  • Centro de Referência e Atendimento do Imigrante (CRAI);
  • ProMigra (Faculdade de Direito – USP);
  • Cruz Vermelha;
  • Consulado da Bolívia;
  • Cáritas Arquidiocesana de São Paulo
  • Projeto Ponte – Instituto Sedes Sapientiae;
  • Grupo Veredas – psicanálise e imigração;
  • Programa de Residência Multiprofissional da UNINOVE;
  • Eixo de saúde da Missão Paz
  • Centro de Direitos Humanos e Cidadania do Imigrante (CDHIC), no fornecimento de máscaras de prevenção à Covid-19.

O mutirão é articulado pela Rede de Cuidados em Saúde para Imigrantes e Refugiados, o Projeto de Extensão Fronteiras Cruzadas (Unicamp) e a Associação de Mulheres Imigrantes Luz e Vida (AMILV). São esperados pelo menos 200 pessoas que residam nas regiões de Guaianases e Cidade Tiradentes, mas pessoas de outras partes da capital paulista e região metropolitana também podem aproveitar os serviços disponíveis.

Resposta à pandemia

A iniciativa visa aproximar os serviços da população migrante que vive distante da região central da cidade, assim como de grande parte dos locais onde tais serviços são oferecidos. Com a pandemia de Covid-19 e a perda de renda que também se abateu sobre essa população, até mesmo o deslcoamento para uma outra região se tornou uma tarefa complicada e cara.

“Como a maior parte dessas organizações estão no centro, em bairros mais afastados de onde eles moram, muitos não têm dinheiro ou tempo para ir até uma dessas organizações para receber atendimento”, pontua Alexandre Branco Pereira, coordenador da Rede de Cuidados em Saúde para Imigrantes e Refugiados.

O mutirão se tornou possível por meio do trabalho realizado pela associação comunitária AMILV, fundada em 2014 por Yolanda Palacios e Miriam Guarachi. Yolanda, pedagoga de origem boliviana radicada em São Paulo há mais de dez anos, realiza com Miriam reuniões semanais com trabalhadoras imigrantes, principalmente da costura, em distintos bairros de São Paulo por meio de dinâmicas sócio-educativas e culturais.

“Problemas como as taxas para a regularização migratória impedem que imigrantes tenham acesso a benefícios sociais e até mesmo à vacinação”, exemplificou Yolanda.

A ideia é que o mutirão não seja uma ação isolada, mas sim que ajude a fomentar algo mais amplo. “O objetivo agora é transformar o mutirão em um evento que não apenas leve serviços pontualmente aos imigrantes, mas fortaleça as políticas sociais, valorizando a diversidade das culturas e o conhecimento entre as redes de imigrantes”, disse Karina Quintanilha,  pesquisadora da Unicamp e integrante do Fórum Fronteiras Cruzadas, uma das organizadoras do mutirão.

A organização do mutirão ainda tenta levantar recursos para oferecer alimentação aos imigrantes durante o evento. Para isso, foi disponibilizada uma chave PIX para coletar doações, que podem ser feitas em qualquer valor – saiba mais abaixo, no serviço para o mutirão.

Serviço

Mutirão de Saúde, Trabalho Social e Direitos Humanos

CEU Lajeado – R. Manuel da Mota Coutinho, 293 – Lajeado, Zona Leste – São Paulo – SP, 08451-420

Serviços: Regularização migratória, atendimento jurídico e orientação sobre direitos humanos e roda de conversa sobre Covid-19, Vacinação e Saúde.

Data e hora: sábado, 11 de setembro de 2021, das 10h às 15h

Para colaborar com a alimentação:

CHAVE PIX: 11998556190
Darci Lopes de Queiroz ( Alohá)
💫Se possivel informar no pagamento: #MutiraoMigrante
Doações de qualquer valor


*Venha ser parte do esforço para manter o trabalho do MigraMundo! Veja nossa campanha de financiamento recorrente e junte-se a nós: https://bit.ly/2MoZrhB

*Gostaria de ingressar em nosso grupo de WhatsApp para receber em seu celular as atualizações do MigraMundo? Envie seu nome e telefone para blogmigramundo@gmail.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui