Nações Unidas buscam US$ 1,35 bi para auxiliar migrantes e refugiados venezuelanos em 2020

Estimativas das agências, que fazem parte do Sistema ONU, indicam que 4,6 milhões de venezuelanos já migraram nos últimos anos em decorrência da crise no país

0
53
Mãe e filho cruzam ponte que liga a Venezuela a Cucuta, na Colômbia. Crédito: Boris Heger/ACNUR

Por MigraMundo Equipe
Em São Paulo

A OIM (Organização Internacional para as Migrações) e o ACNUR (Alto Comissariado da ONU para Refugiados) lançaram um plano regional que visa captar US$ 1,35 bi para necessidades humanitárias ligadas à migração venezuelana em 2020.

Estimativas das duas agências, que fazem parte do Sistema ONU, indicam que 4,6 milhões de venezuelanos já migraram nos últimos anos em decorrência da crise no país – 80% deles estão em países da América Latina.

O Plano Regional de Resposta a Refugiados e Migrantes (RMRP) de 2020, lançado em Bogotá (Colômbia), é uma ferramenta de coordenação e captação de recursos estabelecida e implementada por 137 organizações.

São nove setores-chave no plano: saúde; educação; segurança alimentar; integração; proteção; nutrição; abrigo; itens de socorro e transporte humanitário; e água, saneamento e higiene. Além da resposta de emergência, o Plano Regional foca em garantir a inclusão social e econômica de refugiados e migrantes.

“Somente por meio de uma abordagem coordenada e harmonizada será possível atender efetivamente às necessidades de larga escala, que continuam a aumentar e evoluir à medida que a atual crise se aprofunda”, disse Eduardo Stein, Representante Especial Conjunto do ACNUR-OIM para refugiados e migrantes venezuelanos. “Para esse fim, o apelo do Plano Regional é um dos principais instrumentos para mobilizar recursos para ações coletivas e coordenadas.”

Venezuelanos no Brasil

No Brasil, nos dois primeiros quadrimestres deste ano, 34,9 mil venezuelanos pediram refúgio no Brasil, segundo relatório de imigração divulgado na segunda-feira (11) pelo Ministério da Justiça. O número é 11% menor do que o registrado no mesmo período em 2018.

Na avaliação do Ministério, o menor número de pedidos de refúgio indica uma maior procura dos venezuelanos por vistos de residência.

Ao lado dos haitianos, os venezuelanos protagonizam os principais fluxos migratórios em direção ao Brasil nesta década.

Já a plataforma R4V.info, que compila dados sobre a migração venezuelana no continente, indica que 224 mil estão vivendo no Brasil atualmente, sendo 104,8 mil com algum tipo de visto (temporário ou definitivo).

O Brasil é o quinto principal destino dos venezuelanos que deixam o país, atrás de Colômbia, Peru, Equador e Chile.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.