publicidade
quarta-feira, abril 17, 2024

Com Turma da Mônica, gibis temáticos tratam de tráfico de pessoas e inclusão social de imigrantes

As publicações foram desenvolvidas pelo governo federal em parceria com o Instituto Maurício de Sousa e contaram com o apoio de agências da ONU

Usar o caráter lúdico das revistas em quadrinhos como forma de conscientizar o público, especialmente o infanto-juvenil, sobre inclusão de imigrantes e o enfrentamento ao tráfico de pessoas. E ainda utilizar a Turma da Mônica e seus personagens para ajudar em tal tarefa. Pois essa combinação agora se faz representar em duas publicações lançadas na última terça-feira (19) pelo Ministério da Justiça, durante cerimônia em Brasília.

Os gibis são: “Um país acolhedor! Migrações, Refúgio e Apatridia!”, sobre a inclusão de migrantes; e “Um Sonho Perigoso”, que trata do enfrentamento ao tráfico de pessoas. Ambos estão disponíveis nas versões impressas e online, que podem ser acessadas e baixadas do portal do Ministério da Justiça

As publicações foram desenvolvidas pelo governo federal em parceria com o Instituto Maurício de Sousa, responsável pela Turma da Mônica, e receberam ainda o apoio da Organização das Nações Unidas, por meio da Agência da ONU para as Migrações (OIM) e do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC).

“É com orgulho e satisfação que lançamos os gibis da Turma da Mônica. A expectativa é de que eles se tornem ferramentas de mudança, permeando lares e escolas. Crianças e adolescentes estão entre os perfis mais vulneráveis ao tráfico de pessoas e representam parte importante da população migrante em nosso país. Os temas são abordados de forma lúdica, numa linguagem acessível e interessante para esse público”, enfatizou o secretário Nacional de Justiça, Jean Uema, no ato de lançamento.

Os dois gibis foram lançados em meio às discussões para elaboração do 4ª Plano Nacional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, que vão se estender até quinta-feira (21) em Brasília. A expectativa é que esse novo plano seja lançado oficialmente em julho, mês de conscientização sobre o tema.

Entenda as publicações

Em “Um país acolhedor! Migrações, Refúgio e Apatridia”, o gibi conta a história de Amina, uma garotinha síria que vivia na capital do país, Damasco. Ela e a família mudam para o Brasil buscando fugir da guerra que devastou e amedrontou seu país nos últimos anos.

A história apresenta, em uma linguagem simples e acessível às crianças, as influências positivas que os migrantes já trouxeram e seguem trazem ao país, por meio de comidas típicas, vestimentas, esportes, e até nosso sistema numérico, que foi uma contribuição dos povos árabes. A revista busca demonstrar que o Brasil é um exemplo de acolhimento e de respeito às diferentes culturas, etnias e demais diversidades.

Além disso, a revista ainda traz algumas explicações breves e lúdicas sobre termos como refúgio e apatridia, e passatempos que ajudam a fixar os temas abordados.

“Um Sonho Perigoso”, por sua vez, usa os personagens jovens da Turma da Mônica para tratar de uma potencial situação de tráfico de pessoas, como estratégia de sensibilização e prevenção. O jovem Cebola sonha em ser um pro player, interessado em participar de grandes competições e receber altas remunerações por isso. Um belo dia, ele recebe uma proposta tentadora, pela internet, e fica muito tentado a aceitar. Acontece que se trata de uma oferta falsa e ele quase cai em uma situação de tráfico de pessoas.

Ao final da história, o gibi traz algumas recomendações aos leitores diante de propostas “encantadoras” de emprego, além de divulgar os principais canais de denúncia (Disque 100 ou Ligue 180).

Importância das parcerias

“A população migrante é um motor de desenvolvimento sustentável e sua inclusão na comunidade de acolhida é essencial para que ela atinja seu potencial. Publicações como essa, feitas em parceria com a Senajus e o Instituto Mauricio de Sousa, ajudam a sociedade a reconhecer a importância dessas pessoas e suas contribuições”, disse o chefe de missão da agência da ONU para as Migrações (OIM) no Brasil, Stéphane Rostiaux, durante o evento.

A representante do UNODC no Brasil, Elena Abbati, por sua vez, destacou que a prevenção ao tráfico de pessoas requer um contínuo aprimoramento nas formas de tratar e comunicar sobre esse crime para públicos diversos, incluindo pessoas em situação de vulnerabilidade. “O apoio dado ao Ministério da Justiça para a publicação deste gibi, por meio do Projeto Track4TiP, visa promover a conscientização de crianças e adolescentes sobre o recrutamento on-line em casos de tráfico de pessoas”, disse ela.

Segundo a ONU, o tráfico de pessoas movimenta anualmente 32 bilhões de dólares em todo o mundo. Desse valor, 85% provêm da exploração sexual.

Outras publicações

Além das revistas recém-lançadas, dentro do portal do Ministério da Justiça é possível encontrar uma série de relatórios, cartilhas e outros materiais de apoio relacionados com a integração de imigrantes no Brasil e combate a questões como o tráfico de pessoas.

As publicações da Turma da Mônica recém-lançadas em parceria com o Ministério da Justiça não são as únicas que tratam de migração. Em 2005, uma edição dos gibis tratou justamente de imigrantes, a partir das migrações nos séculos XIX e XX.

Em 2021, por conta do Dia Nacional do Migrante (25 de junho), o canal de YouTube Gibis Infalíveis elaborou um vídeo no qual usa quadrinhos da Turma da Mônica para falar justamente de migração e de suas contribuições para o Brasil.

Com informações do Ministério da Justiça

Publicidade

Últimas Noticías