Deputada de origem brasileira entra para o Congresso espanhol

1
460
A brasileira Maria Dantas, eleita deputada na Espanha. Crédito: Mariana Araújo

Com Marielle Franco como inspiração, Maria Dantas tem a defesa de direitos para migrantes como uma de suas bandeiras

Por Maria Badet e Rodrigo Veronezi
Em Barcelona (Espanha) e São Paulo

Pela primeira vez na história da Espanha uma deputada federal de origem brasileira é eleita para ocupar uma das vagas no Congresso espanhol, pelo partido Esquerda Republicana da Catalunha (ERC). A eleição de Maria Dantas aconteceu neste domingo (28), dentro do processo para renovação do Congresso e do Senado da Espanha.

A indicação de Dantas para o cargo é resultado de anos de ativismo social realizados no partido e, principalmente, a todo seu trabalho pela luta dos direitos humanos em diferentes frentes sociais na Catalunha. A deputada foi eleita como quinta na lista do partido no Congresso, que elegeu um total de 15 parlamentares. A ERC é a primeira força política catalã no Congresso espanhol – ao todo foram 350 cadeiras em disputa nesta legislatura.

Maria Dantas nasceu em 1969 em Aracaju , capital do estado de Sergipe. É advogada e ativista social e residente em Barcelona há 25 anos. A deputada chegou ao Estado espanhol para realizar estudos de 2º e 3º ciclos em Direito Ambiental, Filosofia Jurídica, Moral e Política e Finanças. Atualmente trabalha em uma empresa catalã na área de finanças, mas há anos usa seu tempo livre para participar ativamente em diversas lutas sociais de natureza internacionalista, a luta contra o racismo, o fascismo, pela defesa dos direitos humanos, dos direitos civis, políticos das pessoas.

A deputada é membro, entre outras organizações, da plataforma Unidade Contra o Fascismo e o Racismo (UCFR), membro do conselho de CIEMEN e da CONFAV, uma das promotoras de Stop Mare Mortum e da Plataforma Brasileira contra o Fascismo de Barcelona, do Conselho de Cidadania do Brasil em Barcelona, do Emergência Fronteira Sul, entre outras organizações. Ela também colaborou com o movimento Tras la Manta, que dá suporte aos vendedores de rua em Barcelona, Associação Intercultural Latinos por Catalunha, Itacat -Agência de Comunicação Intercultural, Sí amb Nosaltres, entre outras.

Há cerca de dez anos, conseguiu a cidadania espanhola, o que permitiu a ela ter direitos políticos. Nos últimos oito anos ela participou do setor de cidadania e migração e no setor de movimentos sociais da Esquerda Republicana de Catalunha – ERC.

Nascida em uma família muito humilde, Dantas viveu em situação indocumentada por muitos anos e sabe em primeira mão as dificuldades que essa realidade acarreta. E dedicou a vitória aos movimentos sociais.

“Agradeço muito aos movimentos sociais pelo apoio. É importante que haja mulheres e minorias no governo para mudar paradigmas.”

Com uma camiseta de Marielle Franco, assassinada em março de 2018, Dantas afirma ter a vereadora carioca como inspiração. Ela conta que aceitou o convite para integrar a lista do partido com base em um pensamento de Marielle – sobre a importância de atuar não só na base, mas também nas instituições.

“Mudança social é feita desde a base, mas é importante também entrar nas instituições e atuar por dentro.”

A deputada eleita Maria Dantas, homenageando Marielle Franco após sua vitória na Espanha.
Crédito: Mariana Araújo

A advogada sabe que não terá vida fácil. Ao levantar bandeiras como direitos políticos para imigrantes e vias seguras para que estes possam entrar no país, vai bater de frente com o poderio dos partidos de extrema-direita no Legislativo nacional. Foi esse contexto adverso, no entanto, que serviu a ela como maior incentivo para aceitar o convite de seu partido.

“Ele vai encontrar uma imigrante nordestina, cabra da peste, que luta há anos em plataformas LGBTI, antifascista e anti-islamofobia”, disse Dantas, em referência ao deputado Santiago Abrascal, líder do partido Vox, de extrema-direita, que obteve um total de 24 assentos. Será a primeira vez desde a queda da ditadura de Francisco Franco (em 1975) que uma legenda de inspiração franquista terá lugar no Congresso espanhol.

Passada a eleição, que teve como vencedor o Partido Socialista, do atual premiê Pedro Sánchez – que obteve 123 cadeiras -, o próximo desafio é a formação de governo, com a formação de alianças para se obter uma maioria no Parlamento.

A ERC, de Dantas, já avisou que não fará nenhuma negociação com partidos de direita e extrema-direita.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.