Governo de SP lança campanha de combate a xenofobia e por acolhimento de migrantes

0
88
O governo do estado lança campanha Imigrante, São Paulo te Acolhe no Centro de Integração da Cidadania (CIC) do Imigrante. Crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil

Intitulada “Imigrante, São Paulo te Acolhe”, ação vai contar com mensagens nas redes sociais e em pontos estratégicos como metrôs, rodoviárias e aeroportos

Por Rodrigo Borges Delfim
Em São Paulo (SP)

O governo de São Paulo lançou nesta terça-feira (25) – mesma data do Dia Nacional do Migrante – uma campanha que visa conscientizar a sociedade paulista da necessidade de acolhimento e respeito a imigrantes e refugiados que vivem no Estado.

Intitulada “Imigrante, São Paulo Te Acolhe”, a ação foi lançada durante evento no CIC (Centro de Integração e Cidadania) do Imigrante, no bairro da Barra Funda, zona oeste da capital paulista – o local, mantido pela gestão estadual e destinado ao atendimento de migrantes, foi aberto em dezembro de 2014.

Encabeçada pela Secretaria da Justiça e Cidadania, a campanha vai contar com mensagens nas redes sociais e em pontos estratégicos como metrôs, rodoviárias e aeroportos. Ela também apresentará os serviços disponíveis na secretaria para atendimento aos migrantes, refugiados e imigrantes, além de alertar sobre a xenofobia.

Uma das imagens da campanha “Imigrante, São Paulo te Acolhe”, lançada pelo governo paulista.
Crédito: Divulgação

“Precisamos estar habilitados para acolher. O início dessa campanha mostra que São Paulo, por meio do Governo do Estado, está de braços abertos para receber os imigrantes”, afirmou o secretário estadual de Justiça, Paulo Dimas Mascaretti.

O lançamento da campanha no CIC do Imigrante contou ainda com um mutirão de serviços ligados a documentação, área jurídica e regularização migratória, entre outros. Também foram oferecidos exames oftalmológicos, de hipertensão arterial e diabetes, além de procedimentos estéticos, como limpeza de pele e corte de cabelo.

O boliviano Carlos Huertado foi um dos imigrantes que aproveitou o mutirão de serviços – checou a visão e o diabetes. . “Aproveitar que é gratuito, porque às vezes sai caro”, comentou ele, que vive há dez anos no país, em entrevista à EBC.

Instituições da sociedade civil que lidam com a temática migratória também acompanharam o evento e elogiaram a iniciativa – a ação contou com a parceria do Islam Solidário – Fambras, ProMigra, ACNUR (Alto Comissariado da ONU para Refugiados), Fundo Social de São Paulo, Secretaria de Desenvolvimento Social, Projeto Cerzindo, Defensoria Pública, Núcleo de Estudos Sobre Migrações e Casa de Passagem Terra Nova.

“Agora é apoiar e ao mesmo tempo continuar cobrando ações efetivas por parte do poder público de acolhimento à população migrante e refugiada, assim como de combate à xenofobia”, afirma Bruno Lopes, coordenador de projetos do CDHIC (Centro de Direitos Humanos e Cidadania do Imigrante), em entrevista ao MigraMundo, sobre o lançamento da campanha e seus desdobramentos.

Dados gerais

De acordo com a Polícia Federal, vivem no Brasil atualmente 1,198 milhão de imigrantes – o Estado de São Paulo concentra quase a metade desse total (538 mil). Dados de março de 2018 do Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), vinculado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública, indicam que há 5.314 refugiados vivendo no país sob essa condição.

Pelas estimativas da ONU, há mais de 258 milhões de imigrantes no mundo, e esse número deve continuar crescendo nos próximos anos. Ainda no campo global, informações do ACNUR (Alto Comissariado da ONU para Refugiados) indicam que existam hoje 25,9 milhões de pessoas refugiadas no mundo.

Com informações de EBC e Secretaria da Justiça e Cidadania

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.