publicidade
sexta-feira, julho 12, 2024

Equipe de refugiados nos Jogos Paralímpicos de Paris terá 8 atletas de 5 nacionalidades

Será a terceira edição dos Jogos Paralímpicos a ter uma delegação de atletas refugiados. Objetivo é homenagear e mostrar o potencial de integração propiciado pelo esporte

A Agência da ONU para Refugiados e o Comitê Paralímpico Internacional divulgaram nesta terça-feira (9) os atletas que vão integrar a delegação de refugiados nos Jogos Paralímpicos de Paris. A competição neste ano acontece de 28 de agosto a 8 de setembro, poucas semanas após os Jogos Olímpicos na capital francesa.

Ao todo, oito atletas de cinco nacionalidades vão disputar seis competições. São três refugiados do Irã, dois do Afeganistão e um de cada de Camarões, Colômbia e Síria.

Será a terceira edição de Jogos Paralímpicos a contar com uma delegação de atletas refugiados. Foram dois competidores na Paralimpíada do Rio (2016) e seis em Tóquio (2021).

“Pela terceira Paralimpíada consecutiva, uma equipe de atletas refugiados determinados e inspiradores mostrará ao mundo o que eles podem alcançar se tiverem a chance. Os refugiados prosperam quando têm a oportunidade de usar, desenvolver e mostrar suas habilidades e talentos, no esporte e em muitas outras áreas da vida. O esporte é vital para o bem-estar mental e físico deles, assim como para sua inclusão e integração com as comunidades que os acolhem.”, diz o alto comissário da ONU para refugiados, Filippo Grandi.

Reforçando essa visão, o presidente do Comitê Paralímpico Internacional, Andrew Parsons, afirma que essa delegação destaca o impacto transformador do esporte.

“Todos os paralímpicos têm histórias de resiliência incrível, mas as histórias desses atletas e suas jornadas como refugiados sobrevivendo à guerra e perseguição para competir nos Jogos Paralímpicos são incrivelmente inspiradoras. “Infelizmente, o mundo tem mais de 120 milhões de pessoas deslocadas à força em todo o mundo. Muitas vivem em condições terríveis. Esses atletas perseveraram e demonstraram uma determinação incrível para chegar a Paris 2024 e dar esperança a todos os refugiados ao redor do mundo”.

No começo de maio, o ACNUR e o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciaram os 36 atletas da Equipe Olímpica de refugiados, provenientes de 12 países distintos.

Quem serão os atletas paralímpicos refugiados em Paris-2024

Segundo o Comitê Paralímpico, os atletas são escolhidos em consulta com as Federações Internacionais com base em vários critérios, incluindo o desempenho atlético. O status de refugiado dos atletas, determinado pelo país anfitrião, também precisa ser verificado pelo ACNUR.

Veja abaixo os nomes dos atletas que irão compor a deleção de refugiados nos Jogos Paralímpicos de Paris. No portal do Comitê Paralímpico Internacional há uma entrevista com cada competidor.

Apesar de passar uma mensagem de superação e do potencial de integração social a partir do esporte, há também uma crítica latente a esse tipo de iniciativa por parte de alguns especialistas. Eles consideram que um time formado por refugiados reforça o estigma desses indivíduos em uma situação de limbo, sem pertencimento a uma nação – ou seja, sem representar nem o país de origem, nem o de acolhimento.

Esse debate foi abordado no MigraMundo em uma publicação de setembro de 2021, poucas semanas após os Jogos de Tóquio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Publicidade

Últimas Noticías