Jesus refugiado? O que a Bíblia fala a respeito de imigrantes, refugiados e deslocados

3
117
A Bíblia cristã tem ensinamentos sobre o tratamento a ser dado a imigrantes e refugiados que cabem em qualquer crença. Crédito: Márcia Passoni

Do Antigo ao Novo Testamento, a Bíblia cita diversas passagens relacionadas com as migrações, forçadas ou não, inclusive na trajetória de Jesus

Por Márcia Passoni e Rodrigo Borges Delfim
Adaptado de Relevant Magazine
Publicada originalmente em 19/02/17 e atualizada em 31/07/18, às 11h07

Jesus foi refugiado? A afirmação, feita pelo jornalista Bernardo Mello Franco durante o programa Roda Viva (Cultura) para questionar o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) sobre suas ideias anti-migração entrou para os Trend Topics do Twitter e foi ridicularizada tanto pelo ex-militar como por seus apoiadores nas redes sociais.

No entanto, a própria Bíblia cristã é categórica ao dizer que sim – basta lembrar como exemplo a passagem sobre a ida de Jesus, Maria e José para o Egito para fugir da perseguição do rei Herodes. No último dia 20 de junho, quando é lembrado mundialmente o Dia do Refugiado, o papa Francisco recordou esse fato para pedir ao mundo que acolha os refugiados.

Voltando um pouco mais no tempo bíblico (e histórico), há também a trajetória do povo de Israel, que se viu na condição de migrante em momentos como a estada e fuga do Egito e o cativeiro na Babilônia.

A menção a Jesus como refugiado no Roda Viva – e a reação de repulsa a essa relação – é um exemplo de como a relação entre migrações, religião e política o tema também marca presença e gera divisões no cenário brasileiro, impulsionado pelo imprevisível período eleitoral que se aproxima.

Mas voltando à Bíblia: seja no Antigo como no Novo Testamento, a temática das migrações (forçadas ou não) está bem mais presente nas histórias e ensinamentos na Bíblia do que se imagina em princípio. E além da fuga de Jesus e sua família para o Egito, há pelos menos outras doze passagens bíblicas que falam sobre a atitude a ser tomada em relação a imigrantes, refugiados e demais pessoas que se deslocam. Embora a orientação da Bíblia se dirija aos fiéis cristãos, são atitudes humanas que cabem em qualquer crença.

Algumas das passagens abaixo também são citadas neste vídeo (em inglês) no YouTube do frade jesuíta James Martin, bastante conhecido nos Estados Unidos:

Amar os refugiados como a ti mesmo – Levítico, 19: 33-34

“Quando um imigrante habitar com vocês no país, não o oprima. O imigrante será para vocês um concidadão: você o amará como a ti mesmo, porque vocês foram imigrantes na terra do Egito”

 

Deixe alimento para os pobres e estrangeiros – Levítico, 19: 9-10

“Quando vocês fizerem a colheita da lavoura nos seus terrenos, não colham até o limite do campo; não voltem para colher o trigo que ficou para trás, nem as uvas que ficaram no pé; também não recolham as uvas caídas no chão; deixem tudo isso para o pobre e o imigrante”.

 

Deus ama o estrangeiro que vive perto de você – Deuteronômio, 10: 18-19

“Ele faz justiça ao órfão e à viúva e ama o imigrante, dando-lhe pão e roupa. Portanto, amem o imigrante, porque vocês foram imigrantes no Egito”.

A Bíblia cristã tem ensinamentos sobre o tratamento a ser dado a imigrantes e refugiados que cabem em qualquer crença.
Crédito: Márcia Passoni

 

O Pecado de Sodoma: Eles não ajudaram aos pobres e necessitados – Ezequiel, 16: 49

“O pecado de sua irmã Sodoma foi este: ela e as cidades dependentes estavam cheias de soberba, abundância e despreocupação, mas não deram a mão para fortalecer o pobre e o indigente”.

 

Não oprima um estrangeiro – Êxodo, 23:9

“Não oprima o imigrante: vocês conhecem a vida do imigrante, porque vocês foram imigrantes no Egito”

 

Não prive o estrangeiro que está perto de você da justiça – Malaquias, 3:5

“Eu virei até vocês para fazer um julgamento: serei uma testemunha atenta contra os feiticeiros e contra os adúlteros, contra todos os que juram falso, que roubam o salário do operário, contra os opressores da viúva e do órfão e contra os que violam o direito do estrangeiro. Esses não me temem!” diz o Todo Poderoso”. 

 

Faça o que o estrangeiro pedir a você – 1-Reis, 8:41-44

“Se o estrangeiro, que não pertence ao teu povo Israel, também vier de uma terra distante por causa do teu Nome, 42 pois ouvirão falar do teu grande Nome, de tua mão forte e de teu braço estendido, se ele vier para orar neste Templo, 43 escuta do céu onde moras, e atende a todos os pedidos do estrangeiro. 

Assim, todos os povos da terra reconhecerão o teu Nome e temerão a ti, como faz o teu povo Israel. Eles saberão que o teu Nome é invocado neste Templo que eu construí”.

 

Deixe a sua porta aberta para o viajante – Jó, 31: 32

“O imigrante nunca teve que dormir na rua, porque eu abria minhas portas ao viajante”.

 

Convide o estrangeiro a entrar – Mateus, 25: 35-36

“Pois eu estava com fome, e vocês me deram de comer; eu estava com sede, e me deram de beber; eu era estrangeiro, e me receberam em sua casa; eu estava sem roupa, e me vestiram; eu estava doente, e cuidaram de mim; eu estava na prisão, e vocês foram me visitar”. 

 

Fomos todos batizados pelo mesmo Espírito – 1-Coríntios, 12: 12-14

“De fato, o corpo é um só, mas tem muitos membros; e no entanto, apesar de serem muitos, todos os membros do corpo formam um só corpo. Assim acontece também com Cristo. Pois todos fomos batizados num só Espírito para sermos um só corpo, quer sejamos judeus ou gregos, quer escravos ou libertos. E todos bebemos de um só Espírito”.

 

Ame a teu próximo como a ti mesmo – Gálatas, 5: 14

“Pois toda a Lei encontra a sua plenitude num só mandamento: «Ame o seu próximo como a si mesmo”. 

 

Tenha misericórdia do teu próximo – Lucas, 10: 29-37

“Mas o especialista em leis, querendo se justificar, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?” Jesus respondeu: “Um homem ia descendo de Jerusalém para Jericó, e caiu nas mãos de assaltantes, que lhe arrancaram tudo, e o espancaram. Depois foram embora, e o deixaram quase morto. Por acaso um sacerdote estava descendo por aquele caminho; quando viu o homem, passou adiante, pelo outro lado. O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu, e passou adiante.

Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu, e teve compaixão. Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal, e o levou a uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte, pegou duas moedas de prata, e as entregou ao dono da pensão, recomendando: ‘Tome conta dele. Quando eu voltar, vou pagar o que ele tiver gasto a mais’.

E Jesus perguntou: Na sua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?’ O especialista em leis respondeu: ‘Aquele que praticou misericórdia para com ele’. Então Jesus disse: ‘Vá, e faça a mesma coisa'”.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. Olá queridos MigraMundo.

    Que a Justiça de Deus e a Paz de Cristo habitem em suas vidas.

    Excelente artigo sobre Jesus e sua família terrenal como migrantes refugiados! E também sobre os preceitos judaicos sobre a proteção e acolhimento dos migrantes.

    Bom lembrar que Jesus não era cristão e sim judeu, e que cumpriu toda a lei e cerimonial religiosos em seu tempo. Muito importante essa reflexão e entendimento. Meu coração anseia por ver ainda muitos religiosos como essa visão…

    Muito bom também ter sido escrito por pessoas que não são sacerdotes ou ministros religiosos. Isso dessacraliza e deselitiza esse tema e tarefa, democratizando as informações históricas e teológicas e estimulando, nesse Estado que é laico e é do povo, que todas as pessoas se sensibilizem e engajem.

    Por fim, gostaria apenas de oferecer mais uma informação bíblico-teológica sobre a questão. Não somente o Jesus histórico, humano foi migrante e refugiado, mas também o próprio Deus o é. Ele tornou-se um quando executou a “Missio Dei”, enviando ao mundo seu filho unigênito, Jesus o Cristo, encarnando com ele e vivendo entre nós, uma vez que, no conceito da Santíssima Trindade, eles são distintos mas também são um só, e no conceito da União Hipostática de Cristo, este coabitava as naturezas humana e divina.

    Sendo tudo para o momento, quero manifestar meu respeito e admiração pelo trabalho do MigraMundo e me colocar a disposição para apoiar.

    No amor de Cristo, esperança nossa,

    Nello Pulcinelli, pe.
    Ordem Anglicana Missionária
    MOVIR – Movimento de Valorização da Imigração e Refúgio

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.