publicidadespot_img
sexta-feira, janeiro 27, 2023

Passaporte japonês começa 2023 como mais poderoso do mundo; documento brasileiro é o vigésimo

Segundo a consultoria que elabora a lista, o estudo oferece uma nova visão sobre a desigualdade e disparidade de riqueza cada vez maiores que define nosso mundo

Pelo quinto ano seguido, o passaporte japonês aparece como o mais poderoso do mundo, de acordo com o ranking elaborado pela consultoria britânica de mobilidade global Henley & Partners. O dado foi divulgado pela entidade nesta terça-feira (10).

A cada trimestre, a Henley & Partners divulga uma lista dos passaportes mais fortes do mundo – no caso, aqueles que permitem a entrada como turista em mais países sem a necessidade de visto. A lista completa pode ser vista neste link.

O passaporte japonês permite a entrada em nada menos que 193 destinos. Logo atrás, com acesso sem visto a 192 destinos, aparecem Singapura e Coreia do Sul empatados na vice-liderança. No terceiro lugar, empatados com 190, aparecem os documentos de viagem de Alemanha e Espanha.

O Brasil aparece em uma posição relativamente alta na tabela da consultoria britânica, empatado com a Argentina na vigésima posição – ambos com passaporte que dispensa visto para acesso em 170 países.

Já o Afeganistão aparece em último na lista, com um passaporte que dá acesso sem necessidade de visto a apenas 27 países. Pouco acima aparecem Iraque (29), Síria (30), Paquistão (32) e Iêmen (34).

Reflexões sobre a mobilidade global

O índice, que usa 17 anos de dados, ajuda indivíduos e governos ricos a avaliar o valor das cidadanias em todo o mundo, com base em quais passaportes oferecem mais entradas sem visto ou visto na chegada. Assim, a lista permite também uma reflexão sobre o atual estado da mobilidade global.

“Nossa pesquisa mais recente sobre quanto acesso econômico global cada passaporte oferece é uma ferramenta útil para os investidores e fornece uma nova visão sobre a desigualdade e disparidade de riqueza cada vez maiores que define nosso mundo”, disse o presidente da Henley Partners, Christian H. Kaelin, em comunicado à imprensa.

Um estudo da consultoria britânica que acompanha o ranking aponta que apenas 6% dos passaportes em todo o mundo dão aos seus portadores acesso sem visto a mais de 70% da economia global. E apenas 17% dos países concedem aos seus portadores de passaporte acesso sem visto a mais de quatro quintos dos 227 destinos do mundo.

O passaporte japonês oferece acesso sem visto a 85% do mundo e, coletivamente, esses países representam 98% da economia global (a contribuição do próprio Japão para o PIB é de aproximadamente 5%). Por sua vez, o passaporte afegão, que tem a classificação mais baixa, oferece acesso sem visto a apenas 12% do mundo e a menos de 1% da produção econômica global.

Outro ponto em comum entre os passaportes na parte de baixo da lista da consultoria britânica é o de alguns deles estarem entre os que mais geram refugiados no mundo. Um dado que reforça a disparidade econômica e social nos deslocamentos humanos.

O MigraMundo trouxe essa discussão em reportagem publicada em janeiro do ano passado sobre o índice.

Publicidade

Últimas Noticías