publicidadespot_img
sábado, fevereiro 24, 2024

Prefeitura de São Paulo faz chamada para atualização de Mapeamento Colaborativo de iniciativas migrantes

Inscrições podem ser feitas até 15 de março no portal do Mapeamento Colaborativo, em cinco idiomas; levantamento atual contabiliza 73 iniciativas

Por Rodrigo Borges Delfim e Maria Eduarda Matarazzo

A Prefeitura de São Paulo abriu inscrições para atualização do Mapeamento Colaborativo de organizações e iniciativas em atividade na capital paulista que lidam com migrantes. O prazo vai até 15 de março.

As inscrições podem ser feitas no portal do Mapeamento Colaborativo, em cinco idiomas: português brasileiro, espanhol, inglês, francês e criolo haitiano. No formulário é possível enquadrar as iniciativas nas seguintes categorias:

  • Serviços de Alimentação;
  • Feiras culturais;
  • Grupos ligados à temática migratória;
  • Canais de comunicação;
  • Curso de Português.

Demais questões podem ser esclarecidas pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone: +55 (11) 2833-4279.

O que é o Mapeamento Colaborativo?

O Mapeamento Colaborativo visa promover e divulgar informações sobre coletivos, associações e organizações da sociedade civil envolvidos com migrações em São Paulo. Além disso, é uma ferramenta para facilitar o acesso aos direitos da população imigrante e destacar iniciativas e organizações que atuam na cidade.

Esse levantamento tem sido feito pela gestão municipal desde 2015. A partir de outubro passado, ele passou a ser disponibilizado em um portal específico, com o objetivo de dar maior visibilidade às iniciativas.

De acordo com a versão atual do levantamento, são 73 iniciativas cadastradas.

“O objetivo não é apenas reunir informações sobre a rede de migração de São Paulo, mas construir este banco de dados com a participação ativa dos agentes que impulsionam as iniciativas. Isso servirá não apenas aos interessados no tema migratório, mas também à própria comunidade migrante”, explica Bryan Rodas, o coordenador de Políticas para Imigrantes da Prefeitura.

A atualização anual do mapeamento está prevista na Política Municipal para a População Imigrante da Cidade de São Paulo, instituída pela Lei Municipal 16.478/2016. A iniciativa também está alinhada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Segundo a Prefeitura, a partir de dados fornecidos pela Polícia Federal, 361.201 migrantes viviam na capital paulista em 2019. Já outro levantamento feito pelo MigraCidades, uma plataforma de diagnósticos sobre migração com o apoio da OIM, de 2021, apontou 376.156 migrantes na cidade. Nele, bolivianos (27%), chineses (7%) e haitianos (6%) figuraram como as maiores comunidades.

Publicidade

Últimas Noticías