Vidas humanas não têm preço – sobre os bolivianos colocados à venda em São Paulo

1
464

A triste realidade do tráfico humano encontrou um triste exemplo prático de sua existência no episódio dos jovens bolivianos colocados à venda por um compatriota na rua Coimbra, bairro do Brás, região central de São Paulo.

Das matérias publicadas na imprensa, certamente o Bolívia Cultural tem o relato mais completo sobre o caso – refazendo a trajetória dos dois jovens desde Sucre, cidade boliviana onde foram abordados por uma aliciadora, até a triste cena na rua Coimbra.

Apesar dos jovens estarem agora acolhidos em local seguro e esperando a volta à terra natal, o cheiro de impunidade fica no ar pela fuga do comerciante e pela forma com a qual a Polícia Militar atendeu a ocorrência, conforme relato da Folha de S.Paulo.

O tráfico de pessoas é um mercado que movimenta altas cifras de dinheiro mundo afora. Pessoas e empresas lucram usando seres humanos como mercadoria, tal qual no tempo da escravidão – o tráfico de pessoas é a expressão moderna dessa forma sinistra e perversa de comércio.

Desmantelar essas redes e combatê-las é um grande desafio para toda a comunidade internacional, que não pode e não deve fugir dessa missão. Governos, organizações globais e entidades locais devem se articular contra essa realidade. E as próprias sociedades, seja no Brasil ou mundo afora, precisam repreender, condenar e denunciar tais práticas. Qualquer forma de silêncio diante dessa realidade é assumir e defender o lado opressor.

1 COMENTÁRIO

  1. […] Seres humanos tratados como mercadoria. Sim, a escravidão, tema tão presente e vergonhoso ao longo da história, ainda continua à solta – agora sob seu nome moderno, o tráfico humano. Exemplos não faltam, seja na zona rural ou em cidades de todos os portes Ou você já se esqueceu dos dois jovens bolivianos recentemente colocados à venda em plena luz do dia em São Paulo? […]

Comments are closed.