Movimentos sociais e entidades reiteram apoio à sanção integral da nova Lei de Migração

0
19
Cartazes no FSMM 2016 pedem aprovação da nova Lei de Migração, e revogação do Estatuto do Estrangeiro. Crédito: Rodrigo Borges Delfim/MigraMundo

Representantes das entidades, associações e coletivos sociais que manifestaram apoio à nova Lei de Migração pediram que o presidente Michel Temer sancione sem vetos a nova lei, do jeito que foi aprovada pelo Senado.

Eles foram recebidos nesta segunda-feira (15) pela Secretaria de Assuntos Jurídicos (SAJ) da Casa Civil. Na reunião, foi entregue uma atualização da carta divulgada no último dia 28 de abril, que passou a contar com o apoio de 151 organizações, contra 109 da primeira versão.

Veja aqui a lista completa de movimentos que apoiam a nova Lei de Migração

Aprovada pelo Senado há quase um mês, no último dia 18 de abril, a nova Lei de Migração regula a entrada e estadia de migrantes e turistas no Brasil, além de incluir os brasileiros que estão no exterior. Ela passa a ver o migrante como um sujeito de direitos e tem como princípios a não criminalização da migração e o combate à discriminação e à xenofobia. Também reconhece a contribuição histórica e contemporânea dos migrantes para o desenvolvimento econômico e cultural do país.

Veja 12 perguntas e respostas sobre a Lei de Migração

A sanção sem vetos da nova Lei de Migração, em conjunto com a Lei de Refúgio (1997) e com a lei que criminaliza o tráfico de pessoas (2016) coloca o Brasil na vanguarda da proteção dos direitos dos migrantes e no combate das organizações criminosas que se aproveitam das migrações para atos ilícitos.

A nova lei também revoga o atual Estatuto do Estrangeiro, herança da ditadura militar que está em desacordo com a Constituição de 1988, e volta a deixar a legislação migratória em harmonia com a Carta Magna brasileira atual.

O texto da nova Lei de Migração é fruto de um longo processo de mobilização social, que remonta à década de 1990, e contou com amplo consenso e debate entre partidos de diferentes tendências políticas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.